segunda-feira, 10 de julho de 2017

The Student

Nome do Filme : “(M)uchenik”
Titulo Inglês : “The Student”
Ano : 2016
Duração : 115 minutos
Género : Drama
Realização : Kirill Serebrennikov
Produção : Diana Safarova/Ilya Stewart/Yuriy Kozyrev
Elenco : Pyotr Skvortsov, Viktoriya Isakova, Yuliya Aug, Aleksandra Revenko, Aleksandr Gorchilin, Anton Vasilev, Svetlana Bragarnik, Irina Rudniktskaya, Nikolay Roshchin.

História : Um adolescente começa a revelar um estranho comportamento e a ficar viciado na religião, o que provoca sérios problemas não só com a mãe, mas também com todos os que o rodeiam.

Comentário : Um filme russo que eu pensava tratar-se de um drama colegial entre adolescentes e afinal revelou-se ser uma coisa muito diferente. Não quero com isto dizer que fiquei desiludido com o que vi, nada disso, apenas preferia que se tratasse de outra coisa. Detentor de uma boa fotografia, o filme trabalha temas como o fanatismo religioso, a ostentação, a homossexualidade, a loucura, o divórcio, o bullying e muita alienação. Existem coisas que não fazem muito sentido, por exemplo, não se percebe porque quem gere o colégio “acata” os pensamentos do protagonista, existe uma parte em que o jovem revela que acha mal as raparigas irem de bikini para as aulas de natação e a gerência da escola simplesmente as obriga a virem de fato de banho completo. Ou ainda não se entende porque motivo algumas personagens alinham nas parvoíces religiosas do jovem alienado. Existe um personagem que faz de colega aleijado do protagonista que não faz falta nenhuma à história. Por outro lado, a personagem da professora principal é uma peça essencial para que o filme funcione, ela teve o arco narrativo mais interessante da fita. Também gostei da mãe do protagonista, embora ache que ela podia ter sido mais desenvolvida, afinal, era a personagem mais ligada a ele. Nos diálogos, estão constantemente a surgir citações da bíblia, o que a partir de dado momento começa a irritar. A situação da cruz de madeira não acrescenta nada e aquela cena final da professora a pregar-se ao chão da sala de aula é simplesmente ridícula. Eu adorei uma cena em que uma aluna agride o protagonista, ela é hilariante e justa. Por último, tenho que confessar que o cinema russo me encanta, mas apesar de ter gostado deste filme, ele não me impressionou o suficiente, ele é bom mas não deslumbra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário