terça-feira, 11 de julho de 2017

Lady Macbeth

Nome do Filme : “Lady Macbeth”
Titulo Inglês : “Lady Macbeth”
Titulo Português : “Lady Macbeth”
Ano : 2016
Duração : 89 minutos
Género : Drama
Realização : William Oldroyd
Produção : Fodhla Cronin O'Reilly
Elenco : Florence Pugh, Cosmo Jarvis, Naomi Ackie, Golda Rosheuvel, Paul Hilton, Christopher Fairbank, Anton Palmer, Rebecca Manley, Fleur Houdijk, Cliff Burnett, David Kirkbride, Bill Fellows, Nicholas Lumley, Raymond Finn, Ian Conningham.

História : Na Inglaterra rural de 1865, Katherine vive oprimida pelo seu casamento de conveniência com um homem azedo e com o dobro da sua idade e pelo pai deste, um homem frio e impiedoso. Quando se envolve com um jovem trabalhador, sente libertar-se dentro de si uma força tão poderosa que nada a deterá para conseguir o que deseja.

Comentário : Eis outro filme que me encheu as medidas. Estamos perante um poderoso filme de época muito bem escrito e construído. Detentor de uma fiel reconstrução de época, o filme segue sempre a um ritmo lento mas sempre empolgante, eu confesso ter ficado preso ao ecrã durante quase hora e meia. Com uma excelente fotografia granulada, bons planos e um argumento coeso, esta fita leva-nos numa fantástica viagem a uma época romântica, onde grande parte das mulheres sofriam nas mãos dos homens que as sustentavam e que não as respeitavam. Não era fácil ser mulher naquela altura. E a nossa protagonista está incluída nesse grupo, ela vivia debaixo da tirania do sogro e sem qualquer tipo de amor por parte do marido. Até ao dia em que decide ela mesma tomar as rédeas e o controlo da situação e executar as decisões que acha serem melhor para ela. Nesse papel, encontramos uma excelente Florence Pugh (The Falling), que aqui consegue uma prestação muito boa e consistente. Apesar das atitudes dela (apenas no caso do infanticídio eu fiquei contra ela), eu estive sempre do seu lado, é impossível não zelarmos para que Katherine se saia bem das situações. A miúda só está a defender o que é dela. Existe uma cena de provocação em particular que é praticamente impossível não fazer tesão ao mais sereno dos homens. Se esta belíssima actriz não se perder nos meandros do cinema comercial americano, tem um futuro promissor à sua frente. A história empolgou-me bastante desde aquela cena inicial do casamento até à cena final onde a protagonista está sentada no seu sofá preferido da mansão, grávida e confiante no futuro. Podemos contar também com um felino muito agradável que se passeia pela casa, sempre muito senhor de si. No fundo, pode-se dizer que Katherine teve muito azar com os homens que lhe apareceram pela frente : um sogro nojento, um marido inútil e um amante estúpido e cobarde. Quanto à linda Florence Pugh, ela brilhou em cada fotograma que apareceu, sendo a alma deste belíssimo filme de época. Sem dúvidas, mais um dos grandes filmes do ano. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário