domingo, 11 de junho de 2017

The Odyssey

Nome do Filme : “L'odyssee”
Titulo Inglês : “The Odyssey”
Titulo Português : “A Odisseia”
Ano : 2016
Duração : 122 minutos
Género : Aventura/Biográfico/Drama
Realização : Jerome Salle
Produção : Philippe Godeau/Olivier Delbosc/Nathalie Gastaldo/Marc Missonnier
Elenco : Lambert Wilson, Audrey Tautou, Pierre Niney, Laurent Lucas, Benjamin Lavernhe, Chloe Hirschman, Adam Neill, Olivier Galfione, Chloe Williams, Ulysse Stein, Rafael De Ferran, Talie Mergui.

História : Em 1948, Jacques Cousteau, a sua mulher e dois filhos vivem num paraíso, uma magnífica casa com vista para o Mediterrâneo. Apesar disso, Cousteau só consegue pensar em aventuras. Graças à sua invenção, um tanque de oxigénio independente que permite aos mergulhadores respirar debaixo de água, Cousteau foi à descoberta de um novo mundo subaquático. Agora, tudo o que ele quer fazer é explorar esse mesmo mundo e, para tal, está disposto a sacrificar tudo o que até agora alcançou.

Comentário : Possivelmente a melhor estreia cinematográfica desta semana, este filme conquistou-me. Trata-se de uma espécie de biografia de Jacques Cousteau, que eu confesso que até certo momento dá uma má imagem do homem, mas depois ele se redime e passa a ser visto com outros olhos. O filme possui bonitas imagens e cenas cativantes, está muito bem filmado e consegue nos prender ao ecrã. Eu fiquei bastante interessado nesta história, em conhecer este senhor e as coisas que ele fez e em que acreditava. Claramente que aquilo que mais me revoltou nele foi o facto de ter abandonado os seus dois filhos num orfanato, enquanto ele e a mãe dos miúdos foram explorar os oceanos. Isso foi muito cruel, mas também eu não sei se tudo o que mostram neste filme sobre Cousteau é mesmo verdadeiro. Esta é a história de um homem que cometeu muitos erros ao longo da vida, mas nos últimos anos de vida decidiu alterar as coisas e passou a fazer aquilo que achava ser o mais correcto. No papel principal, o actor Lambert Wilson possui a melhor prestação do filme, é um personagem difícil e apesar da caracterização nem sempre o favorecer, eu entendi o seu Jacques Cousteau. No papel de um dos seus filhos, Pierre Niney é quem possui o arco mais interessante da fita, eu o entendi perfeitamente, ele foi abandonado pelos pais num orfanato onde sofreu bullying na infância e mesmo assim transformou-se num ser humano maravilhoso, lamentei imenso o seu destino. Por último, Audrey Tautou está bem no seu papel, é daquelas personagens que demora a entendermos, mas depois de captar a sua essência, nos tornamos zeladores da sua pessoa. No entanto, também ela é alguém que cometeu erros ao longo da sua vida, nunca nos podemos esquecer disso. O filme abarca ainda importantes mensagens ecológicas que chegam tarde e a más horas, porque a narrativa demora a expressá-las. Sendo a mais marcante : O ser humano está a destruir o planeta. Ainda assim, estamos perante um bom filme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário