domingo, 11 de junho de 2017

The Champ

Nome do Filme : “The Champ”
Titulo Inglês : “The Champ”
Titulo Português : “O Campeão”
Ano : 1979
Duração : 121 minutos
Género : Drama
Realização : Franco Zeffirelli
Produção : Dyson Lovell
Elenco : Jon Voight, Faye Dunaway, Ricky Schroder, Jack Warden, Arthur Hill, Strother Martin, Joan Blondell, Mary Jo Catlett, Elisha Cook, Stefan Gierasch, Allan Miller.

História : Billy Flynn é um antigo lutador de boxe que vive sozinho com o filho menor, depois de ter sido abandonado pela esposa. Um dia, a mãe do menino regressa com a expectativa de conhecer melhor o filho e de tentar recuperar o tempo perdido. Assim, Billy vê a sua vida envolta em problemas e decide voltar a combater nos ringues, para provar ao filho que é dele que ele mais precisa.

Comentário : Hoje apareço com um clássico dos anos 70, apesar de não simpatizar muito com o boxe em si, eu gosto de filmes sobre este desporto e tinha que conferir esse filme. Primeiro que tudo trata-se de um filme dramático, ou não fosse ele conhecido principalmente pelas cenas finais de choro do miúdo. Jon Voight (pai de Angelina Jolie) está muito bem neste filme, ele desempenha o pugilista do título e foi um personagem que cativou o público, nomeadamente porque também era um pai que adorava o seu filho e fazia muito por ele, ele andava a criar o menino sozinho. Apesar de ter os vícios do jogo e da bebida, ele dava bem conta do recado. É um personagem com um arco forte, o actor faz com que quem o vê compre direito a sua jornada e o seu esforço para não estragar tudo feito até então. Faye Dunaway está um pouco apagada neste filme, ainda assim, consegue fazer da sua personagem, alguém interessante. Mas quem está melhor é o pequeno Ricky Schroder, nossa, esse pequeno actor devia ter ganho um bom prémio por esta sua interpretação. A química entre o menino e Voight funciona muito bem, eles convencem bastante enquanto pai e filho que se adoram. Nós ficamos a apostar que a relação deles dê certo. As cenas de combate de boxe são tensas, eu fiquei cansado com aqueles rounds, Voight entregou-se totalmente ao papel. Não foi só conversa de balcão, as cenas finais de choro de T. J. pelo seu campeão são mesmo dramáticas e causam impacto no espectador, eu só não chorei também porque não estava nos meus dias. Destaque também para a cena da queda da égua na corrida e para a cena da discussão entre pai e filho na prisão. O menino tem ainda uma cena bem dramática com Dunaway num dos quartos do barco. Se o protagonista não tivesse o destino que teve, podiam actualmente fazer um segundo filme, porque o trio ainda é vivo. Eu tornei-me num grande admirador deste filme, muito bom.

Nenhum comentário:

Postar um comentário