segunda-feira, 1 de maio de 2017

Wolyn

Nome do Filme : “Wolyn”
Titulo Inglês : “Hatred”
Titulo Português : “Ódio”
Ano : 2016
Duração : 150 minutos
Género : Drama/Histórico/Guerra
Realização : Wojciech Smarzowski
Elenco : Michalina Labacz, Arkadiusz Jakubik, Wasyl Wasyik, Adrian Zaremba, Izabela Kuna, Jacek Braciak, Maria Sobocinska, Oleksandr Chesherov, Lech Dyblik, Roman Skorovskiy, Zacharjasz Muszynski, Gabriela Muskala, Michal Gadomski, Andrzej Popiel, Marcin Sztabinski, Jerzy Rogalski, Iryna Skladan, Oles Fedorchenko, Jan Aleksandrowicz, Magda Celowna, Janusz Chabior., Jaroslaw Gruda, Anna Grzeszczak, Magdalena Jaworska, Sonia Roszczuk, Emilia Sulej.

História : Uma jovem polaca chamada Zosia vive um romance escondido com um rapaz, quando é obrigada pelo progenitor a casar com um homem que tem idade para ser seu pai. Para piorar ainda mais a sua complicada situação, Zosia vê começar a Segunda Guerra Mundial e com ela agrava-se o ódio que os ucranianos têm pelos polacos. Sozinha com um filho pequeno nos braços, ela vê-se no meio de um conflito muito violento e mortal e tudo fará não só para garantir a sobrevivência do seu rebento, como também para se manter viva.

Comentário : O chamado cinema do mundo continua em grande e este filme polaco é a grande prova disso. É um filme muito violento, tendo cenas capazes de ferir a sensibilidade dos mais susceptíveis. Dentro do género em que está inserido, é mais um filme que mostra a maldade humana e a capacidade dos homens para cometer as mais horrendas barbaridades contra o seu semelhante. E custa a presenciar certas coisas, o realizador não nos poupa na altura de chocar. Durante o filme, a sensação que temos é a de estar a ver uma espécie de versão curta da fita, porque existem alguns cortes em certas cenas. Mas isso não afecta o todo. Temos uma recriação de época bastante aceitável, onde aquilo que mais se destaca é o guarda-roupa e os artefactos usados por todo o elenco. Gostei igualmente da fotografia e da banda sonora. Mas o grande pilar do filme são as brutais prestações de todo o elenco, principalmente a interpretação e caracterização da jovem protagonista Michalina Labacz, esta rapariga não só é muito bonita como também possui a melhor presença do filme, ela carrega a peça praticamente toda nos ombros. É impossível não ficarmos preocupados sempre que está prestes a acontecer-lhe alguma coisa de mal. A história da humanidade está cheia de atrocidades e injustiças e eu confesso que desconhecia que em tempos os ucranianos chegaram a odiar tanto os polacos. Lá para o fim, houve uma situação muito mal explicada, mas tudo bem. E o final, apesar de simbólico, é bastante aceitável. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário