domingo, 14 de maio de 2017

The Age Of Shadows

Nome do Filme : “Mil-Jeong”
Titulo Inglês : “The Age Of Shadows”
Titulo Português : “A Idade das Sombras”
Ano : 2016
Duração : 140 minutos
Género : Drama/Thriller
Realização : Kim Jee Woon
Produção : Choi Jeong Hwa
Elenco : Byung Hun Lee, Yoo Gong, Kang Ho Song, Ji Min Han, Hee Soon Park, Foster Burden, Shingo Tsurumi, Tae Goo Eom, Yeong Ju Seo, Ha Dam Jeong, Hiromitsu Takeda, Soo Yeon Han, Yu Hwa Choi, Joon Go, Ja Hyoung Kwak.

História : Na Coreia de 1923, um grupo de resistentes tem como missão transportar explosivos para detonar um grande complexo militar, símbolo da supremacia nipónica. Vários agentes da polícia são preparados para deter os criminosos e impedir o atentado. Tudo se complica quando o capitão da polícia japonesa, mas de origem coreana, sente nascer em si um conflito : deverá seguir as instruções e cumprir as ordens que lhe foram dadas pelos superiores ou apoiar uma causa maior, ajudando os rebeldes a libertar o seu país do jugo do inimigo.

Comentário : O cinema oriental (coreano, chinês e japonês) está de parabéns, que grande filme. Eu confesso que gosto bastante de cinema oriental, não dos filmes de luta, mas sim dos thrillers, dos policiais e dos dramas. E aqui estamos perante um poderoso thriller com contornos dramáticos, que é também um filme de época e que funciona na perfeição em todos os sentidos. Eu tenho um pouco de dificuldade em lidar com os nomes que compõem os elencos destes filmes, por essa razão, não vou aqui frisá-los, mas vou seguramente dizer que todos os actores estiveram muito bem, com especial destaque para o suposto protagonista desta história, o actor que desempenha o capitão da polícia infiltrado. Eu gostei imenso desta história, é um enredo envolvente, algo que nos prende muito bem ao ecrã, eu fiquei totalmente na expectativa daquilo em que tudo iria culminar. Eu senti-me totalmente dentro do filme. A banda sonora tem um papel fundamental aqui, a música é cativante e apelativa, ela apoia algumas cenas e dá-lhes um toque especial. Tem cenas aqui que, já sendo boas, ficam ainda melhor graças à grandiosa banda sonora. Podemos igualmente contar com boas sequências, veja-se as cenas que envolvem morosos diálogos, ou ainda a excelente e enorme sequência dentro do comboio, tensa e grandiosa, são os melhores quarenta minutos das quase duas horas e meia de projecção. A violência também tem um lugar a ocupar neste filme, apesar de não estar sempre presente, quando ela aparece, deixa-nos chocados. É uma fita em que o lado masculino é bem mais forte do que o feminino, só existe uma personagem feminina relevante aqui e que merece o grande destaque. Notei um erro assinalável e umas poucas coisas que não fazem muito sentido, a maior parte delas passam despercebidas. Em resumo, é um excelente filme que eu gostei bastante.


Nenhum comentário:

Postar um comentário