domingo, 28 de maio de 2017

Sucker Punch

Nome do Filme : “Sucker Punch”
Titulo Inglês : “Sucker Punch”
Titulo Português : “Mundo Surreal”
Ano : 2011
Duração : 110 minutos
Género : Drama/Fantasia
Realização : Zack Snyder
Produção : Deborah Snyder/Zack Snyder
Elenco : Emily Browning, Abbie Cornish, Vanessa Hudgens, Jena Malone, Jamie Chung, Carla Gugino, Scott Glenn, Oscar Isaac, Jon Hamm.

História : Após a morte da mãe e depois de ter morto acidentalmente a irmã mais nova numa tentativa de a livrar do padrasto abusador, uma jovem rapariga é internada num manicómio, fazendo amizade com outras quatro miúdas. Ela descobre que dentro de cinco dias virá um médico para lhe fazer uma lobotomia. Para evitar esse irreversível procedimento e para tirar as quatro amigas daquele ambiente horrível, a miúda elabora um plano para as cinco saírem do hospital e serem livres.

Comentário : Lembro-me que fui ao cinema ver este filme, que se tornou num dos meus filmes deste género preferidos. Começa por ser um drama e depressa evolui para um filme de fantasia muito bem elaborado e concebido, graças à história que é muito boa. No centro da trama temos uma jovem rapariga que arrasta outras quatro para os seus jogos de acção. Aquilo que as raparigas fazem é inventar realidades alternativas para conseguirem os seus objectivos. Quando saí da sala de cinema, disse para mim mesmo que tinha assistido a um grande filme e, passados alguns anos e depois de o rever, persiste a mesma sensação. Quando se gosta de algo e isso é autêntico, gosta-se sempre. Nesta fita, temos mulheres ao poder, ou seja, elas são as únicas protagonistas e cada uma do seu jeito, embelezam o filme. É um filme muito sensual. Desde as vestes das miúdas, passando pelas suas poses e terminando na sua beleza, elas funcionam na perfeição e a química entre as pequenas nota-se da forma mais evidente e credível.

No papel da protagonista, Emily Browning é Baby Doll, é ela quem é colocada a dançar, coisa que nós nunca vemos porque em vez da dança, temos uma missão das garotas. Emily Browning manda muito bem como protagonista, além de ter uma boa prestação, ela simplesmente nos encanta com o seu ar angelical e a sua sensualidade. Ela ainda resulta como líder. Abbie Cornish é Sweet Pea, a segunda personagem mais importante da fita, indecisa de início, não é somente uma coisa boa em acção, ela é mesmo boa, seja a interpretar em dramas ou em modo rápido. Jena Malone é a menina mais forte do grupo e a actriz tem mesmo carisma, lamentei o que lhe aconteceu. Vanessa Hudgens é a mais “frágil” da equipa mas ainda assim vai muito bem, enquanto que Jamie Chung é a mais “apagada” do colectivo, mas o compõe lindamente. Por último, temos uma Carla Gugino irreconhecível, é ela quem dirige e cuida das meninas e o faz de forma perfeita. Esqueçam os homens, eles aqui não valem nada. Os efeitos especiais são excelentes, satisfazem mais do que muita porcaria que se faz actualmente. Por exemplo, a primeira sequência de acção, na qual a nossa Baby Doll luta contra três guerreiros num templo, é simplesmente brutal, eu vibrei com aquilo. Perto do final, temos um twist que não se compreende, mas não estraga o todo. Se gostam de um filme diferente, vejam este e deixem-se levar porque a história é cativante. Recomendado. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário