domingo, 7 de maio de 2017

Rings

Nome do Filme : “Rings”
Titulo Inglês : “Rings”
Titulo Português : “Rings”
Ano : 2017
Duração : 103 minutos
Género : Terror
Realização : F. Javier Gutierrez
Produção : Laurie MacDonald/Walter F. Parkes
Elenco : Matilda Anna Ingrid Lutz, Alex Roe, Johnny Galecki, Vincent D'Onofrio, Aimee Teegarden, Bonnie Morgan, Chuck David Willis, Patrick R. Walker, Zach Roerig, Laura Wiggins, Lizzie Brochere, Randall Taylor, Drew Grey, Kayli Carter, Jill Jane Clements.

História : Uma rapariga começa a investigar o que aparenta ser apenas mais uma lenda urbana : uma cassete de vídeo amaldiçoada, com conteúdo perturbador, cuja visualização é seguida de uma chamada telefónica que anuncia a quem a viu, que morrerá em sete dias. Depois de a ter visionado, ela faz uma descoberta, existe um vídeo dentro daquele vídeo que ninguém viu antes.

Comentário : O primeiro filme americano desta saga foi muito bem realizado por Gore Verbinski, eu confesso ter gostado bastante desse filme de terror. O segundo era muito fraco e eu não gostei nada. Agora surge-nos o terceiro que além de não chegar aos calcanhares do primeiro, é ainda pior que o segundo. A história de Samara Morgan agradou-me bastante e penso que o primeiro filme bastava, não era preciso fazer um segundo filme e muito menos um terceiro. A maioria das pessoas não estava interessada em conhecer o pai de Samara e muito menos a mãe dela. Claro que estou a chamar este novo filme de desnecessário, ele não adianta nada para a história da menina carente, já para não falar do facto de estar muito mal feito e de ter muitas alterações face à tese original. A Samara do primeiro filme era muito mais real do que esta deste terceiro filme, o factor digital perde muito nesta sequela. Os efeitos sonoros até são legais, mas o argumento é muito pobre e o filme é cheio de clichés do género e de situações descabidas e fora do contexto. Outras ainda são muito mal explicadas. Existem também algumas atitudes das personagens que são duvidosas e vão contra a lógica das coisas. A nível do elenco, não existe aqui uma interpretação de jeito, nem a protagonista se safa. Os sustos soam a falso, o factor surpresa não mora por aqui, a própria história do vídeo dentro do vídeo não pega, é uma grande estupidez. Perdeu-se a magia do original. Quiseram trazer a história de Samara para a era digital, mas falharam porque a coisa não resulta. A miúda carente passou da cassete VHS para os computadores, telemóveis e para a internet, a essência da coisa foi-se e é lamentável que assim seja. O final é patético e abre a porta para uma ou mais sequelas. Deviam ter contado e mostrado o passado de Samara de uma outra maneira. Um filme totalmente nulo e desnecessário. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário