domingo, 28 de maio de 2017

E Agora ? Lembra-me

Nome do Filme : “E Agora ? Lembra-me”
Titulo Inglês : “What Now ? Remind Me”
Titulo Português : “E Agora ? Lembra-me”
Ano : 2013
Duração : 165 minutos
Género : Biográfico/Documentário
Realização : Joaquim Pinto
Produção : Joana Ferreira
Elenco : Joaquim Pinto, Nuno Leonel.

História : Há quase duas décadas que Joaquim Pinto convive com o HIV e com o vírus da hepatite C. O cineasta teve de se afastar da carreira no cinema devido à progressão da doença. Após anos de luta, decide regressar com esta obra. Através de um documentário confessional, que segue o seu “caderno de apontamentos” sobre um ano de ensaios com medicamentos experimentais iniciados em 2011, ele faz uma reflexão sobre o tempo e a memória, as epidemias e a globalização, a sobrevivência para além do expectável, a dissensão e o amor.

Comentário : É um filme que promove a reflexão, é um documentário muito humano sobre dois homens que se limitam a viver uma vida em comum, eles são homossexuais e são casados. Um deles é doente e o outro o ajuda a superar as dificuldades. Têm quatro cães e muita força de vida. São assim Joaquim Pinto e Nuno Leonel. Confesso que não conhecia Joaquim Pinto, nem como pessoa e muito menos enquanto realizador. Gostei de o ter ficado a conhecer, graças a este maravilhoso filme. Os dois habitam num mundo muito próprio, dando também muita importância à natureza. Naquilo em que o filme é bom é basicamente mostrar-nos o quotidiano de Joaquim Pinto, fala-nos das suas doenças e do seu trabalho, sendo também uma importante reflexão sobre a vida e uma homenagem à mesma. Naquilo que o filme é mau, é no facto de ser longo demais, dava perfeitamente para tirarmos algumas cenas, condensando tudo em 120 minutos. Existe portanto muita palha aqui. O filme falha também porque não explora os problemas de saúde do realizador como deveria, aborda pouco essa temática, quando sabemos que seria um documentário ainda melhor caso se concentrasse mais nisso. Podemos contar também com referências a filmes, a músicas e a programas de televisão. O filme tem igualmente uma componente espiritual bastante acentuada. A coisa que menos gostei aqui foi quando levavam as coisas para a componente sexual. Por outro lado, aquilo que mais gostei neste documentário foi do realizador nos ter dado a conhecer a sua vida. Estamos perante um bom documentário que pode funcionar também como uma lição de vida. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário