segunda-feira, 22 de maio de 2017

A Toca do Lobo

Nome do Filme : “A Toca do Lobo”
Titulo Inglês : “The Wolf's Lair”
Titulo Português : “A Toca do Lobo”
Ano : 2015
Duração : 101 minutos
Género : Documentário
Realização : Catarina Mourão
Produção : Laranja Azul

História : Todas as famílias guardam segredos : A minha não é excepção. Primeiro descubro um velho filme de 9,5 mm, depois redescubro os velhos álbuns de infância da minha mãe onde as fotografias me parecem todas ilusões ópticas. Mais tarde o meu avô, que nunca conheci, revela-se e fala comigo num estranho programa de televisão. Nesta viagem quero desvendar os segredos da minha família durante a ditadura, que envolvem mistérios que foram passando de geração em geração. Entre passado e presente procuro reinterpretar velhas memórias e descobrir novas verdades, lutando contra o silêncio e as portas que permanecem fechadas (Catarina Mourão).

Comentário : Foi com grande satisfação que eu descobri este maravilhoso documentário que fala de alguns elementos da família da realizadora Catarina Mourão, com grande destaque para o passado do seu avô, Tomaz de Figueiredo. Apesar de não ter sido considerado um filme biográfico, eu o acho não só isso, como também um documentário profundo sobre a vontade e coragem de uma mulher em querer conhecer mais sobre o passado do avô que nunca conheceu. Este filme é feito de imagens de arquivo, fotografias, objectos e cenas da actualidade da realizadora e da sua mãe. É um trabalho rigoroso, mas a cima de tudo, corajoso sobre alguém que quer conhecer as suas raízes, o seu passado, bem como aquilo que alguns elementos da sua família passaram. Eu adorei conhecer algumas coisas, confesso que nem conhecia esta realizadora, muito menos Tomaz de Figueiredo, foi com grande agrado que fiquei a saber das suas existências. O documentário possui histórias muito interessantes, mas aquela que mais me comoveu foi a parte das saquinhas de cachimbos e do significado e desejos que Tomaz de Figueiredo tinha para elas. Foi engraçado vê-las primeiro naquela gravação antiga a preto e branco e depois perto do final, conhecer as suas cores. Claramente que não foi uma emoção tão grande quanto aquela que as visadas tiveram, mas ainda assim uma grande emoção. Achei igualmente interessantes as histórias soltas desta família, bem como da situação complicada dele enquanto esteve internado no manicómio. Gostei imenso das imagens de infância e da forma como todo o filme foi montado e feito. Para a maioria do público, este é um filme que nada significa, mas aqueles que gostam de saber coisas novas, é um prato cheio de saber e de factos e informações sobre vivências, sobre outras vidas, algumas que já se foram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário