domingo, 23 de abril de 2017

Viral

Nome do Filme : “Viral”
Titulo Inglês : “Viral”
Ano : 2016
Duração : 85 minutos
Género : Drama/Terror
Realização : Ariel Schulman/Henry Joost
Produção : Sherryl Clark/Jason Blum
Elenco : Sofia Black-D'Elia, Analeigh Tipton, Travis Tope, Michael Kelly, Linzie Gray.

História : As irmãs adolescentes, Emma e Stacey, estão a ajustar-se à vida depois de uma mudança para o sul da Califórnia e tentam ainda lidar com as tensões na relação dos pais. Quando uma estranha doença atinge uma colega da turma de Emma, a vida das duas irmãs fica virada do avesso. Uma quarentena de emergência separa-as do pai e as jovens são forçadas a cuidar de si mesmas, enquanto o governo declara lei marcial. Emma e Stacey vão descobrir que este vírus é afinal um verme parasita que faz o seu hospedeiro atacar violentamente, espalhando-se através do sangue assim a outras vítimas. Quando Stacey começa a mostrar sinais de estar infectada, Emma terá que lutar, não só para salvar Stacey, mas também para se salvarem a si próprias.

Comentário : Na noite passada tive a grande oportunidade de ver este pequeno filme de terror, que confesso ter gostado bastante. Não sendo daquelas obras de terror muito sangrentas e violentas, é antes um filme leve e pouco exigente cujo principal foco é a relação entre duas irmãs muito diferentes. Eu confesso que estava um pouco indeciso se havia ou não de ver este filme, afinal, a crítica não é muito favorável, mas optei por ignorar os comentários menos bons e embarcar nesta aventura. Claro que o filme tem clichés, os mesmos de sempre em filmes do género, mas as coisas vão-se encaminhando no bom sentido, o que resulta numa história capaz, onde quem vê fica sempre a desejar que corra tudo bem com as duas miúdas, principalmente com Emma. Embora, no filme, seja referido que a irmã mais velha talvez não fosse capaz de fazer pela mais nova, aquilo que esta fez por ela. O que se sente é que a mais nova é melhor pessoa do que a mais velha, foi isso que passou cá para fora, apesar de gostarem uma da outra.

No papel da irmã mais nova, Sofia Black D'Elia representa uma menina doce e simpática, muito diferente de Stacey. Emma segue sempre todas as regras e é toda certinha, mas acaba sempre por ser arrastada pela irmã para maus caminhos. Mas a jovem actriz tem a melhor interpretação do elenco, eu adorei a sua personagem. Já Analeigh Tipton como Stacey, é a típica irmã rebelde que não respeita os pais nem ninguém, sempre metida em confusões por ela criadas, a jovem é uma espécie de ovelha negra da família. Ainda assim, as duas meninas gostam imenso uma da outra e protegem-se mutuamente, a química aqui resulta muito bem, seja como actrizes, seja enquanto personagens irmãs. De referir ainda que esta última teve uma interpretação bastante aceitável. Depois, temos um clima de tensão que percorre todo o longa que resulta muito bem, eu mesmo me senti totalmente penetrado naquilo que estava a acontecer diante dos meus olhos. É um filme que dá que pensar, e se um dia isto viesse a acontecer, algo deste tipo, que afectasse a população humana. Gostei bastante deste filme. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário