quarta-feira, 19 de abril de 2017

Road To Nowhere

Nome do Filme : “Road To Nowhere”
Titulo Inglês : “Road To Nowhere”
Titulo Português : “Sem Destino”
Ano : 2010
Duração : 120 minutos
Género : Romance/Thriller
Realização : Monte Hellman
Produção : Monte Hellman/Melissa Hellman
Elenco : Tygh Runyan, Dominique Swain, Shannyn Sossamon, John Diehl, Cliff Young, Waylon Payne, Rob Kolar, Fabio Testi, Nic Paul, Mallory Culbert.

História : Mitchell Haven é um realizador que descobre o argumento perfeito para o seu filme na história verídica de dois amantes malditos : a jovem e belíssima Velma Duran e o político americano Rafe Taschen, envolvidos num escândalo de fraude, que culmina no trágico suicídio de ambos. Mitchell, fascinado com o enredo e mais ainda pela personagem de Velma, encontra na desconhecida Laurel Graham, a encarnação da beleza e carisma que procura para a sua personagem central. Mas com o passar do tempo, e cada vez mais envolvido na trama, a linha entre a ficção e a realidade começa a esvanecer-se.

Comentário : Existem, por vezes, filmes que contam histórias de filmes dentro de filmes, é o caso deste. Confesso que deixei este filme passar na altura, devido ao facto de não lhe ter prestado muita atenção, passou-me despercebido. Não sendo um grande filme, é uma obra razoável que se vê bem, embora no início custe a entranhar. Por vezes confusa, é uma história dentro de outra história. Por um lado, temos a equipa que está a filmar e a produzir o filme e depois temos os acontecimentos do tal filme que está a ser feito, embora seja mais do primeiro caso. Só para terem uma pequena ideia, no princípio aparece os dados técnicos do filme que está a ser feito e não do filme de Monte Hellman. Sobre o elenco, são elas quem mais se destacam. Dominique Swain está muito bem no seu papel, enquanto que Shannyn Sossamon irradia sensualidade com a sua beleza, gostei das interpretações destas duas, com destaque para a segunda. Por seu turno, o actor Tygh Runyan possui a melhor interpretação no que ao elenco masculino diz respeito. Gostei da fotografia e do facto deste filme ser também uma homenagem à sétima arte, visto mostrar em certas cenas os bastidores das filmagens de uma produção cinematográfica. Assim, assistimos à maneira como é filmada uma cena e como é trabalhado o argumento. A determinado momento, a confusão instala-se porque os dois filmes são cuidadosamente baralhados, embora se perceba claramente aquilo que se passa ou pelo menos assim pareça. Resta-me dizer que o filme possui um ritmo um pouquinho lento, mas isso aqui funciona como um elogio. Gostei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário