quarta-feira, 5 de abril de 2017

Once

Nome do Filme : “Once”
Titulo Inglês : “Once”
Titulo Português : “No Mesmo Tom”
Ano : 2007
Duração : 85 minutos
Género : Drama/Romance
Realização : John Carney
Produção : Martina Niland
Elenco : Glen Hansard, Marketa Irglova, Hugh Walsh, Gerard Hendrick, Alaistair Foley, Geoff Minogue, Bill Hodnett, Denuse Ktrestova, Mal Whyte, Marcella Plunkett, Niall Cleary, Kate Haugh.

História : Quando um músico de rua, com o coração partido, simpatiza imediatamente com uma bonita e enérgica teclista, este casal, fora do comum, decide que não tem nada a perder. Durante uma semana totalmente eléctrica, o duo compõe, interpreta e grava um grupo de músicas.

Comentário : O realizador John Carney fez três bons filmes sobre música e este é o primeiro. É também o meu preferido da trilogia. Já o vi à uns bons anos e ainda hoje me encanta. Devido às brutais prestações de Glen Hansard e Marketa Irglova, por causa das belíssimas canções, devido ao argumento simples e também a todo um tom de realismo que envolve toda a película. Na verdade, tudo parece muito real, verdadeiro e humano, parece que estamos a viver esta história. Tal como disse, trata-se de um filme independente detentor de uma história muito simples, mas grandiosa na sua mensagem e no conteúdo. A canção “Falling Slowly” que o duo protagonista canta naquele piano na loja de instrumentos do amigo dela, é uma música linda, fiquei totalmente rendido a ela, os meus ouvidos amaram-na. As histórias pessoais dos dois protagonistas são totalmente convincentes, o cineasta conseguiu que quem vê o filme, sentisse as suas vivências. A empatia entre os dois protagonistas funcionou na perfeição, diria mesmo que melhor era impossível, a maneira como eles se relacionam convence, parecem duas pessoas reais. Nota-se claramente que se trata de um filme independente, não somente pela maneira amadora de filmar, como também pela presença de pequenos erros em detalhes mínimos. É um filme que foca bem a importância da música nas nossas vidas e como nós precisamos dela. Possivelmente, o melhor filme realizado por John Carney. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário