sábado, 18 de março de 2017

Little Men

Nome do Filme : “Little Men”
Titulo Inglês : “Little Men”
Titulo Português : “Homenzinhos”
Ano : 2016
Duração : 85 minutos
Género : Drama
Realização : Ira Sachs
Elenco : Greg Kinnear, Jennifer Ehle, Theo Taplitz, Paulina Garcia, Michael Barbieri, John Procaccino, Ching Valdes Aran, Alfred Molina, Stella Schnabel, Yolonda Ross, Talia Balsam, Mauricio Bustamante, Clare Foley, Maliq Johnson, Anthony Angelo Flamminio, Madison Wright, Teeka Duplessis, Chinasa Ogbuagu.

História : Após a morte do avô, Jake, de 13 anos, vê de repente a família mudar-se de Manhattan para a antiga casa onde o pai cresceu em Brooklyn. Aí Jake faz um amigo, Tony, cuja mãe, Leonor, uma costureira chilena dirige sozinha uma loja de roupa no rés-do-chão. Os pais de Jake – Brian, um actor em dificuldades e Kathy, uma psiquiatra – não demoram a pedir a Leonor um grande aumento de renda da loja. Para Leonor, a nova renda é insustentável e inicia-se uma disputa entre os adultos, que afecta os miúdos.

Comentário : Apesar de não ser muito conceituado, Ira Sachs é um bom realizador e possui bons filmes enquanto cineasta, sendo este “Little Men” o seu melhor trabalho enquanto tal. É um filme leve e inspirador mas ao mesmo tempo, duro e directo na mensagem que se propõe a passar. Trata-se de um pequeno filme independente cuja temática familiar faz questão de estar presente na maioria das cenas. Também existe muita tensão aqui e isso acontece devido a dinheiro, a sinopse fala por si. No fundo, o que começa por ser uma história simples, logo avança para algo difícil de gerir, já que aquele pai quer mesmo que a inquilina pague o triplo da quantia simbólica que pagava ao pai dele. E isso afecta a relação de amizade que os filhos de ambas as partes têm, o que origina conflitos entre os adultos. Com uma cuidada banda sonora que se torna bastante agradável em algumas cenas, o filme segue sempre o seu caminho no tom certo e nunca descarrila. Existe um actor famoso que não está a fazer nada neste filme, ele apenas surge em duas cenas, quem viu o filme vai perceber do que eu estou a falar. Os actores graúdos estiveram bem, mas o mérito vai todo para os dois jovens que desempenham os filhos das famílias em conflito, estão bastante convincentes. E quando esperávamos um final todo arranjadinho, eis que o realizador nos volta a surpreender.

Nenhum comentário:

Postar um comentário