sábado, 18 de março de 2017

Being 17

Nome do Filme : “Quand On A 17”
Titulo Inglês : “Being 17”
Ano : 2016
Duração : 115 minutos
Género : Drama
Realização : Andre Techine
Produção : Olivier Delbosc/Marc Missonnier
Elenco : Sandrine Kiberlain, Kacey Mottet Klein, Corentin Fila, Mama Prassinos, Alexis Loret, Jean Fornerod, Jean Corso.

História : Marianne é uma médica que tem um marido na guerra e um filho adolescente chamado Damien que é vítima de bullying por parte do colega Thomas. Um dia, ela socorre a mãe de Thomas e engraça com o rapaz sem suspeitar da rivalidade existente entre ele e o filho. Marianne toma então uma decisão que irá alterar a relação dos dois rapazes.

Comentário : Cá temos o novo filme de André Téchiné, ou seja, mais um bom filme. Pessoalmente, gostei deste filme porque ele possui um twist que se vai figurando aos poucos, os dois protagonistas masculinos começam como inimigos e terminam num estado bem diferente. Mas não foi somente isso que eu gostei. Na mente, ficam igualmente bonitas paisagens e uma realização muito eficaz, o cineasta sabe mostrar a história que pretende contar. É fascinante acompanharmos os acontecimentos e testemunharmos como as coisas vão de um ponto para o outro. Este é um filme que aborda vários dramas humanos vividos por dois jovens e pelos respectivos pais. São duas famílias que se conhecem e passam a conviver, mesmo vivendo longe uma da outra. O realizador sempre soube trabalhar os sentimentos humanos e neste seu novo filme dá mais provas disso, a relação que se vai criando entre os dois rapazes é o ponto chave da fita. Para tal, contam imenso as excelentes interpretações de Kacey Mottet Klein e Corentin Fila. Como protagonista feminina, temos uma Sandrine Kiberlain que esteve à altura do desafio, sem dúvidas, a melhor prestação do longa. Apesar do final não ser o mais interessante, estamos perante mais uma grande obra de André Téchiné, porque todo o resto do filme é muito bom.

Nenhum comentário:

Postar um comentário