domingo, 5 de fevereiro de 2017

Passengers

Nome do Filme : “Passengers”
Titulo Inglês : “Passengers”
Titulo Português : “Passageiros”
Ano : 2016
Duração : 116 minutos
Género : Aventura/Drama/Ficção-Científica
Realização : Morten Tyldum
Elenco : Jennifer Lawrence, Chris Pratt, Michael Sheen, Laurence Fishburne.

História : Jim Preston é um dos cinco mil passageiros que viajam em estado de hibernação pelo espaço numa nave sofisticada a caminho de um planeta distante para aí iniciarem uma nova vida, num desejado processo de colonização. Devido a uma chuva de asteróides, gera-se um problema na nave, o que origina que a cápsula de hibernação de Jim avarie, fazendo com que ele desperte noventa anos antes do previsto. Após cerca de um ano a deambular pela nave e conseguindo sobreviver nesse espaço de tempo, ele sente-se muito sozinho, acabando por tomar uma decisão que o fará cometer um acto condenável.

Comentário : Estamos perante um filme que falhou em alguns aspectos. Confesso que não gostei deste filme, porque ele tentou me vender algo que eu não estava disposto a comprar. Eu até estava a seguir bem os acontecimentos que envolviam o personagem principal, mas depois o filme toma um rumo totalmente descartável e detentor dos habituais clichés do cinema comercial americano. E digo isto com muita tristeza, porque as coisas podiam ter ido por outros caminhos bem mais interessantes, tornando tudo num fantástico thriller espacial psicológico. Primeiro, o que Jim faz é totalmente condenável, isto tendo em conta a situação em que todos estavam, é um acto de puro egoísmo e de machismo. O filme peca igualmente por ter aspectos que não são devidamente explicados, pequenos detalhes de coisas que acontecem. Como aspectos positivos, o filme tem uma boa fotografia e está impecável a nível técnico, possuindo uma sequência muito interessante envolvendo uma piscina e a gravidade, abrangendo a personagem de Jennifer Lawrence. Esta última e Chris Pratt têm boas interpretações e a química entre os dois resultou muito bem. Apesar do final do filme ser o desejado e o correcto, o terceiro acto da fita é uma autêntica porcaria, típica dos filmes comerciais de Hollywood. Nas mãos do realizador e do argumentista certos, este podia ter sido um bom filme. É mais uma das grandes desilusões deste ano. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário