domingo, 26 de fevereiro de 2017

A Man Called Ove

Nome do Filme : “En Man Som Heter Ove”
Titulo Inglês : “A Man Called Ove”
Título Português : "Um Homem Chamado Ove"
Ano : 2015
Duração : 116 minutos
Género : Drama/Comédia Dramática
Realização : Hannes Holm
Elenco : Rolf Lassgard, Bahar Pars, Filip Berg, Ida Engvoll, Tobias Almborg, Chatarina Larsson, Klas Wiljergard, Borje Lundberg, Stefan Godicke, Johan Widerberg, Nelly Jamarani, Zozan Akgun, Anna Lena Brundin, Simon Edenroth, Jessica Olsson, Fredrik Evers, Ola Heden, Lasse Carlsson, Maja Rung, Poyan Karimi, Sofie Gallerspang.

História : Ove é um viúvo mal humorado de 59 anos que foi, há anos, colocado como presidente da associação do condomínio e mantém o bairro com punho de ferro. Quando a grávida Parvaneh e a sua família se mudam para um terreno perto da sua casa, surge uma amizade inesperada.

Comentário : Este filme sueco está dividido em duas narrativas, se por um lado temos a vertente que conta o passado do protagonista, por outro, temos a descrição do tempo actual dele. O filme é ainda uma boa mistura entre drama e comédia, em que nenhum dos géneros abafa o outro. O argumento é assim um dos pontos de principal destaque desta fita e a cinematografia também soma pontos pela sua qualidade. Hannes Holm dirige o seu filme com punho de ferro, nos facultando cenas dramáticas e outras com um humor muito próprio, sem nunca cair no ridículo. É um filme sóbrio e apelativo, que cativa não só pelo argumento como também pela simpatia de Parvaneh e pelo carisma muito peculiar de Ove, o personagem principal. Aliás, a empatia entre estas duas personagens é bastante forte e a química entre eles funcionou na perfeição, seja como personagens, seja enquanto actores. O actor que faz de Ove mais novo é parecido com o actor que faz do velho Ove, achei isso fenomenal.

No papel do protagonista, Rolf Lassgard está excelente, com uma caracterização brilhante, a sua prestação é a melhor da fita numa personagem que convence na perfeição. Ele carrega o filme quase todo nos ombros, sendo o seu principal alicerce. Mesmo quando está enervado ou quando é indelicado para os outros, Ove nunca nos faz pensar mal dele, simpático ou irritante, ele dá um boneco e um personagem adoráveis. Ida Engvoll é muito simpática, adorei a sua personagem, ela nos transmite muito bem toda a tranquilidade da sua Sonja. E Bahar Pars fecha o elenco principal com chave de ouro, no papel de uma mulher que mudará Ove para sempre e marcará o seu fim de vida da melhor maneira. O filme foi considerado um dos melhores de entre as fitas estrangeiras, eu concordo com essa distinção. Adorei também a gatinha persa que Ove acaba por abrigar. É um filme simples, mas com um coração grande, tal como o seu protagonista. Esta obra nos diz que as pessoas podem sempre mudar e mostra igualmente que o passado pode transformar a personalidade e até o modo de vida de um ser humano. Um filme essencial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário