sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Toni Erdmann

Nome do Filme : “Toni Erdmann”
Titulo Inglês : “Toni Erdmann”
Titulo Português : “Toni Erdmann”
Ano : 2016
Duração : 162 minutos
Género : Drama
Realização : Maren Ade
Produção : Maren Ade
Elenco : Sandra Huller, Peter Simonischek, Ingrid Bisu, Michael Wittenborn, Thomas Loibl, Trystan Putter, Hadewych Minis, Lucy Russell, Victoria Cocias, Alexandru Papadopol, Victoria Malektorovych, Ingrid Burkhard, Jurg Low, Ruth Reinecke, Vlad Ivanov, Radu Banzaru, Klara Hofels, Hartmut Stanke, Hans Low, Julischka Eichel, Lennart Moho, Irene Rindje, Cezara Dafinescu, Ozama Oancea, Miriam Rizea.

História : Ines é uma mulher de negócios de uma grande empresa alemã sediada em Bucareste. Quando o pai lhe aparece inesperadamente, Ines não consegue esconder a sua contrariedade. Embora leve uma vida perfeitamente organizada sem qualquer solavanco, quando o pai lhe pergunta se ela é feliz, a sua incapacidade em responder desencadeia uma perturbação profunda. Este pai irritante, do qual ela se envergonha, faz tudo para a ajudar a encontrar um sentido para a vida, recorrendo à invenção de um personagem.

Comentário : Esta noite vi este filme alemão que já recebeu vários prémios em festivais de cinema. Gostei deste filme, é uma obra muito diferente daquilo que estou acostumado a ver. A história é acolhedora e bastante interessante, estamos perante uma mulher muito fria e viciada no seu trabalho que liga pouco às relações humanas, sendo muito desleixada em relação à família. E o seu pai volta a entrar na sua vida para tentar fazer dela uma pessoa diferente, mais feliz. O argumento aqui não apresenta grandes esquemas, a realizadora nos mostra tudo aquilo que pretende e usa ligeiramente o humor em algumas cenas, mas o filme não engana, ele nunca é uma comédia e nunca o tenta ser. Estamos perante um bom drama familiar que nos mostra como um emprego pode ser a principal causa do afastamento e desavenças das pessoas.

No papel principal feminino, encontramos uma Sandra Huller detentora de uma interpretação brutal, fiquei comovido com a sua personagem. Ela nos transmite todas as emoções que uma mulher que está a passar por aquilo sente. Durante o filme estamos sempre à espera que ela “expluda” de irritação, mas esse momento nunca acontece. No papel do protagonista masculino, Peter Simonischek está soberbo, fiquei muito satisfeito com as suas três personagens, quem já viu o filme sabe a que eu me estou a referir. Também fiquei surpreendido com uma jovem actriz chamada Ingrid Bisu, além de muito bonita, ela obteve aqui a terceira melhor prestação do filme, fiquei rendido aos seus encantos. No fundo, isto é um drama humano que eu assisti com todo o prazer. Um filme especial com uma mensagem forte. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário