quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Teenage Cocktail

Nome do Filme : “Teenage Cocktail”
Titulo Inglês : “Teenage Cocktail”
Ano : 2016
Duração : 88 minutos
Género : Drama/Romance
Realização : John Carchietta
Produção : Travis Stevens
Elenco : Nichole Bloom, Fabianne Therese, Michelle Borth, Joshua Leonard, Pat Healy.

História : Uma linda adolescente chamada Annie Fenton muda de casa com os pais para uma nova cidade, onde arranja como única amiga, uma bonita e sensual rapariga chamada Jules Rae. Entre as duas miúdas nasce uma bonita amizade, que logo se transforma numa relação amorosa. Semanas depois, quando as duas se encontram bem financeiramente, tomam uma decisão errada e que é conhecida pelo nome de chantagem.

Comentário : Esta tarde vi este delicioso filme que adorei. Mesmo estando consciente que não se trata de um grande filme, eu adorei e senti-me empolgado e totalmente concentrado durante a fita. Annie e Jules são duas lindas e sensuais adolescentes que andam na escola e que sonham em conseguir da vida algo mais do que simplesmente um emprego simples e monótono naquela cidade pobre e pacata. Elas querem se dar bem na vida e se possível sem grande esforço, o que é muito complicado nos dias que correm. Mas uma delas descobre uma maneira eficaz e fácil de ganhar dinheiro e arrasta a outra amiga para esse jogo. Existe uma coisa que eu não entendo nos filmes americanos : porque motivo as portas das casas estão sempre abertas, a pessoa chega perto e dá um empurrão e a porta abre. Penso ser um dos piores e mais usuais erros dos filmes, será que ninguém naquele país se preocupa com segurança ou é mesmo erro de benefício e cliché dos filmes. Outra coisa que eu não entendi é que como é que um pai que acaba de descobrir que a filha menor faz aquilo e não conta nada para a esposa e não procura saber o que se passa, ele simplesmente, limita-se a recordar um momento em que a filha era mais pequena e ganhou um peluche e pronto, esquece o assunto.

Claramente que o filme possui mais erros, uns relacionados com o argumento e outros mais básicos. Mas aquilo que mais gostei neste filme foi do facto do protagonista serem duas adolescentes, na verdade, a fita pertence-lhes, tudo gira em torno delas. Como protagonistas, Nichole Bloom e Fabianne Therese possuem neste filme excelentes interpretações, as duas jovens actrizes carregam a fita toda às costas, com as suas boas prestações, com a beleza delas e com a entrega total às suas personagens. Eu achei-as maravilhosas, não acho condenável a maneira que Jules arranjou para ganhar dinheiro, afinal as duas estavam de mascarilhas, achei mal foi depois de obterem aquela enorme quantia de dinheiro daquele nojento, terem feito chantagem com ele. As duas podiam ter-se ficado por aquela noite e de certeza que, ao fugirem daquela cidade as duas juntas, iam-se dar bem na vida. Este filme é mais um que prova que a maioria dos homens são uns nojentos e nesse nível, ao actor Pat Healy, o papel assenta-lhe como uma luva, não me importava que a faca no pescoço tivesse feito o seu devido trabalho final. Não liguei para os poucos erros e falhas do filme, apenas lamentei que o filme não fosse tipo “A Vida de Adele”, mais cru e mais explícito, porque eu adoro lésbicas e sou a favor das relações amorosas entre raparigas, acho lindo. Com a sua camara marota, o realizador nos faculta belíssimos planos das duas protagonistas. Ainda sobre o "jogo" lucrativo delas, existem coisas bastante interessantes e que podiam ser alvo de estudos e debates. Mas, apesar de não ter gostado do final, adorei este filme, foi um deleite assistir a ele. E mantenho um dos meus lemas de vida : As raparigas são o melhor do mundo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário