quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Hunt For The Wilderpeople

Nome do Filme : “Hunt For The Wilderpeople”
Titulo Inglês : “Hunt For The Wilderpeople”
Ano : 2016
Duração : 101 minutos
Género : Aventura/Comédia Dramática/Drama
Realização : Taika Waititi
Produção : Taika Waititi/Matt Noonan/Leanne Saunders
Elenco : Julian Dennison, Sam Neill, Tioreore Ngatai Melbourne, Rima Te Wiata, Oscar Kightley, Stan Walker, Mike Minogue, Cohen Holloway, Rhys Darby, Troy Kingi, Hamish Parkinson, Finn, Tuss.

História : Ricky é um menino muito problemático que nunca conheceu o pai e no passado foi abandonado pela mãe, indo sistematicamente parar a casas de correcção e centros de acolhimento devido ao facto de cometer pequenos crimes. Numa última tentativa de colocar alguma ordem no comportamento dele, as assistentes sociais enviam-no para morar com um casal numa casa de campo. O rapaz não gosta daquilo e, quando a mulher da casa morre inesperadamente, Ricky vê-se confrontado com a hipótese de voltar para uma casa de correcção. Para evitar isso, ele e o homem que o acolheu fogem para a floresta. Devido a uma série de constantes mal entendidos e imprevistos, a coisa não é bem vista pelas autoridades e dá-se início a uma verdadeira caça ao homem.

Comentário : Confesso que não costumo gostar de comédias, mas devido às excelentes classificações que este filme auferiu, decide dar-lhe uma oportunidade. E, apesar de algumas coisas que de facto eu não gramei, tenho que confessar que o balanço é positivo e o filme é bastante eficaz e resulta. O argumento está bem construído e a história dá algumas voltas bem interessantes. Apesar de algumas coisas surgirem sem explicação, o que é certo é que as cenas que se seguem acabam por articular tudo muito bem e essas falhas passam despercebidas. A dada altura, o filme começa a respirar o clima de aventura pura e o realizador mete o pé no acelerador e só pára a alguns minutos do filme terminar. É um tipo de aventura penetrante e que nos coloca sempre na expectativa daquilo que vai acontecer a seguir. É um filme que vive de camadas. O filme tem comédia e drama e o realizador trabalha habilmente esses dois géneros, fazendo com que a fita nos ponha bem dispostos e ao mesmo tempo nos comova.

No papel do pequeno protagonista, o jovem actor Julian Dennison é quem merece todos os méritos, fiquei totalmente rendido ao talento do rapaz. Apesar da sua aparência física, ele mexe-se muito bem e tem imensa agilidade nas cenas que assim o exigem. Há inclusive uma sequência dramática que envolve um javali violento e a morte de um cão, apesar de ser muito triste, eu adorei essas cenas, são seguramente as melhores do filme. A empatia entre o jovem actor e o grande Sam Neill também resultou muito bem. Os dois possuem excelentes prestações. Depois temos uma revelação, a jovem Tioreore Ngatai Melbourne vai muito bem e são muito mimosas as cenas em que ela anda a cavalo. Além disso, as partes em que ela contracena com o nosso protagonista são admiráveis de se ver, cheias de vida. E ainda temos direito a uma perseguição de carros ao estilo “Mad Max” lá mais para o final do filme. Apesar de certas contradições, o filme vê-se com grande agrado e me surpreendeu pela positiva. Gostei muito. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário