terça-feira, 4 de outubro de 2016

Sworn Virgin

Nome do Filme : “Vergine Giurata”
Titulo Inglês : “Sworn Virgin”
Titulo Português : “Virgem Prometida”
Ano : 2015
Duração : 88 minutos
Género : Drama
Realização : Laura Bispuri
Elenco : Alba Rohrwacher, Flonja Kodheli, Emily Ferratello, Ilire Vinca Celaj, Lars Eidinger, Luan Jaha, Bruno Shllaku.

História : Hana cresce nas arcaicas montanhas da Albânia. Escapa ao destino de ser casada contra a sua vontade através de um costume antigo, em que sacrifica a sua feminilidade e jura virgindade eterna. Para ser livre, viverá como um homem e passará a chamar-se Mark. Depois de dez longos anos, Hana decide mudar de vida e partir para Milão, ao encontro da prima, que fugira da Albânia no passado.

Comentário : Trata-se de um filme sobre vidas, sobre maneiras de estar na vida e sobre as escolhas feitas pelo ser humano, sofrendo as respectivas consequências. É também um filme que segue a um ritmo lento, mas nunca aborrecido. Seguimos a jornada de Hana, desde a sua adolescência com a prima em casa do pai e da mãe e, mais tarde, avançamos para o seu quotidiano a partir do momento em que abandona a mesma, já ela é adulta. A narrativa está sistematicamente a deambular entre o passado e o presente, sem nunca tornar as coisas confusas. Na realidade, o espectador segue os acontecimentos na perfeição e se interessa pelo que vai sucedendo diante dos seus olhos. Alba Rohrwacher (I Am Love) tem neste filme a melhor prestação da fita, a actriz e respectiva personagem são o melhor da fita, elas funcionam como uma espécie de alicerce que mantém o filme sempre a funcionar e o faz resultar bem. É um filme cinzento, parece que tudo se passa num clima invernal constante, mas sem os sintomas da época. Todo o restante elenco vai bem, gostei tanto da personagem principal, como gostei das personagens da prima, do marido da prima e da filha de ambos. Se me perguntassem de gostei mais dos acontecimentos do passado ou dos acontecimentos actuais, claramente que prefiro o presente. Atenção ao parentesco “prima”, esconde uma poderosa revelação. O final do filme é muito bonito. Um filme interessante e curioso que, infelizmente e por razões sempre comerciais, não terá a atenção devida e merecida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário