quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Sangue do Meu Sangue

Nome do Filme : “Sangue do Meu Sangue”
Titulo Inglês : “Blood Of My Blood”
Titulo Português : “Sangue do Meu Sangue”
Ano : 2011
Duração : 140 minutos
Duração (Versão Longa) : 190 minutos
Género : Drama
Realização : João Canijo
Produção : Pedro Borges
Elenco : Rita Blanco, Anabela Moreira, Cleia Almeida, Rafael Morais, Fernando Luís, Beatriz Batarda, Teresa Tavares, Teresa Madruga, Nuno Lopes, Marcello Urgeghe, Wilma de Brito, Francisco Tavares, Joana Sapinho, Leonor Correia de Oliveira, Dmitry Bogomolov, João Vaz, Margarida Queiroz, Antónia Mariana Lopes, Daniela Teixeira, Márcia Teixeira, Margarida Marques, Paula Marques, Joana Mendes, Silvina Ribeiro, Marco Campos, Djania Venâncio, Sofia Monteiro, Valéria Curuci, Vera Barreto, Teresa Faria, Mafalda Pinto.

História : Márcia é mãe solteira de dois filhos, trabalha como cozinheira e partilha a sua casa num bairro social com a irmã. João Carlos, o filho, é um pequeno traficante no bairro e Cláudia, a filha, estudante de enfermagem, um dia conta à mãe que se apaixonou e envolveu com um homem mais velho, casado e com uma filha menor.

Comentário : Possivelmente um dos melhores filmes portugueses que vi até hoje, sem dúvidas, o melhor filme do realizador João Canijo, embora eu prefira abertamente o filme “É O Amor”. No entanto, tenho a humildade de dizer que o filme de 2011 está mais bem conseguido e é muito melhor. O que João Canijo consegue aqui é algo grandioso, o filme teve imensos prémios e nomeações. Simpatizo bastante com a actriz Rita Blanco e adorei vê-la neste papel e neste filme, ela tem uma das melhores prestações da fita. Também Cleia Almeida e Anabela Moreira deram tudo o que tinham às suas personagens, tiveram excelentes interpretações, com destaque para a segunda. Adorei a personagem de Teresa Tavares e a jovem actriz deu um forte contributo ao filme. É claramente um filme onde as mulheres se destacam nas suas mais variadas formas. Nuno Lopes e Fernando Luís têm personagens fortes, mas o destaque vai logicamente para o primeiro, um excelente actor de cinema.

O filme está muito bem filmado e montado. Fazendo uma breve análise às duas versões, claramente que a versão longa é a melhor, porque ajuda a perceber melhor certas coisas e nos fornece mais informações. Temos excelentes planos, por vezes, a camara mostra duas situações a acontecer ao mesmo tempo num único plano, o que nos força a estar atento o mais possível ao que todos eles dizem. Mas temos mais planos igualmente apelativos. A banda sonora é quase inexistente, o que o realizador nos dá a ouvir são os barulhos dos outros apartamentos, bem como as respectivas discussões das pessoas que lá vivem. A cena da humilhação está brutal, Anabela Moreira brilha mais uma vez em cena. O drama central é bastante pesado, a história daquela mãe e daquela filha é bastante complexa e as actrizes souberam passar essas sensações na perfeição. A sequência que encerra a fita é bastante emotiva, aqueles três irão formar uma nova família : mãe, filha e padrasto. Estamos perante um grande filme, que fala sobre o amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário