sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Captain Fantastic

Nome do Filme : “Captain Fantastic”
Titulo Inglês : “Captain Fantastic”
Titulo Português : “Capitão Fantástico”
Ano : 2016
Duração : 120 minutos
Género : Drama
Realização : Matt Ross
Elenco : Viggo Mortensen, George MacKay, Samantha Isler, Annalise Basso, Shree Crooks, Charlie Shotwell, Nicholas Hamilton, Erin Moriarty, Trin Miller, Elijah Stevenson, Kathryn Hahn, Teddy Van Ee, Missi Pyle, Frank Langella, Ann Dowd, Hannah Horton, Steve Zahn.

História : Há já dez anos que Ben e Leslie vivem nas florestas selvagens do Pacífico Norte com os seus seis filhos menores (três meninos e três meninas). Separados do resto do mundo, decidiram criar ali uma espécie de paraíso onde as crianças pudessem crescer livres e em total harmonia com a Natureza. Guiados pelos próprios pais, cada uma delas recebe uma educação exigente onde nada é deixado ao acaso, desde a arte, literatura, matemática, exercício físico e técnicas de sobrevivência. Um dia, Leslie é hospitalizada e acaba por falecer. Obrigado a deixar temporariamente a floresta e regressar à “civilização” para a cerimónia fúnebre da esposa, Ben vai descobrir que, ao educar os seus seis filhos daquele modo tão peculiar, acabou por criar um fosso entre eles e os outros.

Comentário : Com um péssimo inicio de cerca de cinco minutos, este filme cativou-me bastante. É daqueles casos em que, primeiro estranha-se e depois entranha-se. As criticas em torno deste filme foram abertamente divididas, houve aqueles que gostaram, houve os que detestaram e houve ainda outros que foi-lhes indiferente. Pessoalmente, gostei bastante deste filme, embora tenha três cenas que estragam um pouquinho as coisas, a já frisada sequência inicial, a cena do super-mercado e a cena das cinzas na sanita. Tenho muitas cenas que eu gostei neste filme, mas aquela que eu mais gostei foi aquela em que o filho mais velho conhece e convive com uma bonita jovem, que claramente, não dá em nada, porque eles são de mundos completamente diferentes. Viggo Mortensen está soberbo neste filme, o versátil actor representou muito bem o seu complicado papel. A sua química com as seis crianças é notável em todas as cenas em que os sete contracenam uns com os outros, sozinhos ou em grupo. Todos os actores e actrizes que desempenharam os papéis dos filhos do protagonista estão de parabéns, mas quero aqui mandar um “like” muito especial para a pequena Shree Crooks (foto em baixo). Não gostei muito do personagem de Frank Langella, está muito batido e as suas atitudes cheiram a forçadas. O que existe neste filme é uma espécie de confronto de filosofias de vida, qual a melhor ? Criar filhos na Natureza com poucos recursos pode ser o melhor para as crianças, mas é bem mais complicado do que criá-los normalmente. Nota também positiva para o argumento, acaba por nos facultar algumas surpresas e poucas desilusões. É um filme que está muito bem montado e estruturado e é possuidor de um bom ritmo. Resumidamente, gostei do filme e é sempre bom ver Viggo Mortensen trabalhar, neste caso, num papel diferente. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário