sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Blood Father

Nome do Filme : “Blood Father”
Titulo Inglês : “Blood Father”
Titulo Português : “O Protetor”
Ano : 2016
Duração : 88 minutos
Género : Crime/Thriller/Drama
Realização : Jean François Richet
Elenco : Mel Gibson, Erin Moriarty, Diego Luna, Michael Parks, William H. Macy, Miguel Sandoval, Richard Cabral, Daniel Moncada, Ryan Dorsey, Raoul Max Trujillo.

História : Link é um ex-presidiário que mora numa caravana, ganha a vida à custa de biscates e do negócio das tatuagens e não vê a filha adolescente à imenso tempo. Um dia, a jovem bate-lhe à porta porque se encontra no alvo de um pequeno grupo de perigosos criminosos que a querem matar, tudo porque ela os traiu.

Comentário : Está na moda colocarem actores veteranos e quase em fim de carreira a desempenhar papéis em filmes de ação, nos quais se tornam verdadeiros heróis. Assim de repente, lembro-me de Liam Neeson, mas existem muitos mais nas mais variadas vertentes do mundo da sétima arte. Desta vez, há um espectacular Mel Gibson em excelente forma e apenas é de lamentar o facto do filme ser muito curto. Sim, era capaz de continuar a assistir a isto, se a fita tivesse duas horas e meia. Porque é um filme muito estimulante, onde ficamos a “rezar” para que tudo corra bem com o protagonista e, neste caso, que tudo corra igualmente bem com a filha dele. Assim, Mel Gibson está em plena forma e tem mais uma brilhante prestação, o final dado à sua personagem dividiu opiniões, mas para mim, gostei do desfecho dado a Link. Erin Moriarty é o segundo grande destaque do filme, a miúda está excelente e obteve uma impecável interpretação, adorei a sua personagem (foto em baixo). Diego Luna vai bem no papel de vilão principal, embora ande um pouco desaparecido lá pelo meio e regresse para um final muito apressado. Os restantes criminosos impõem um certo respeito. O filme possui ainda boas sequências de ação e o ritmo varia constantemente entre o acelerado e o lento, dependente daquilo que pai e filha estão a fazer. Na minha opinião, é um filme bastante eficaz, que resulta, embora peque apenas devido a alguns poucos erros na lógica das coisas. Mas no geral, estamos perante um bom filme onde o principal factor positivo é a empatia e a química existente entre pai e filha. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário