domingo, 18 de setembro de 2016

Sully

Nome do Filme : “Sully”
Titulo Inglês : “Sully”
Titulo Português : “Milagre No Rio Hudson”
Ano : 2016
Duração : 95 minutos
Género : Biográfico/Drama
Realização : Clint Eastwood
Elenco : Tom Hanks, Aaron Eckhart, Laura Linney, Valerie Mahaffey, Delphi Harrington, Mike O'Malley, Jamey Sheridan, Anna Gunn, Holt McCallany, Katie Couric, Molly Bernard, Chris Bauer, Jane Gabbert, Molly Hagan, Sam Huntington, Christopher Curry, Cooper Thornton, Autumn Reeser, Patch Darragh, Tracee Chimo.

História : A história verídica de Chesley Sullenberger, o piloto de aviação que, em 2009, aterrou de emergência no Rio Hudson, em Nova Iorque, e evitou que 155 pessoas morressem.

Comentário : Pois é, Clint Eastwood continua a dar-nos bom cinema, mas muito longe da qualidade de obras como “Imperdoável”, “Mystic River”, “Milion Dollar Baby” e “Gran Torino”. Em “Sully”, já se nota o peso da idade do realizador, veja-se, por exemplo, a duração do filme, os seus filmes costumam ultrapassar as duas horas de duração, este fica-se pela hora e meia. Outra coisa que não gostei foi da narrativa não ser certa, o cineasta estava sempre a saltar do presente para o passado e do passado para o presente, o que funciona em alguns filmes, neste a coisa não resultou e fez com que eu ficasse saturado, porque as coisas não aconteciam do modo natural. Depois temos três personagens ridículos, lá está, a parte cómica que o estúdio exige neste tipo de cinema, detestei aqueles três personagens. Para terminar o que eu não gostei, achei de muito mau gosto aquela piada no julgamento por parte do co-piloto, que coloca toda a audiência a rir, simplesmente patético.

Como aspectos positivos, a parte técnica está perfeita e os efeitos especiais ajudam a história e servem o filme, normalmente acontece o contrário. Tom Hanks tem aqui mais uma excelente interpretação e Aaron Eckhart surpreende pela positiva, num dos poucos personagens sérios e reais da sua carreira. A fotografia é boa e o som é um dos principais trunfos da longa. O filme está muito realista, a componente humana foi muito bem explorada, o realizador trabalhou muito bem a componente sentimental do personagem que dá titulo à fita. Podemos contar com bons momentos de suspense, embora o filme não seja pertencente a esse género. Toda a parte da apreciação do que aconteceu, perto do final do filme, é um pouco seca, mas funcionou em parte, porque tudo mostrado até então funcionou muito bem, repito, apesar da narrativa saltitante não ter sido a melhor opção no caso deste filme e desta história. Queria-se, portanto, uma coisa escorrida com principio, meio e fim. Um último reparo, o filme possui um lado documental acentuado, embora seja claramente uma obra de ficção. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário