sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Don't Breathe

Nome do Filme : “Don't Breathe”
Titulo Inglês : “Don't Breathe”
Titulo Português : “Nem Respires”
Ano : 2016
Duração : 87 minutos
Género : Thriller/Terror/Suspense
Realização : Fede Alvarez
Elenco : Jane Levy, Dylan Minnette, Daniel Zovatto, Stephen Lang, Emma Bercovici, Franciska Torocsik.

História : Três jovens criminosos de Detroit ganham a vida a assaltar casas cuja segurança é garantida pela empresa do pai de um deles. Um dia, recebem uma dica de que a casa de um velho veterano num bairro pobre da cidade está cheia de dinheiro que ele recebeu quando uma senhora rica matou a sua filha num acidente de carro. Quando vão vigiar a casa para tratar do assalto, descobrem que ele é cego e pensam que, por isso, a tarefa deles está muito facilitada. Mal sabem eles que não podiam estar mais enganados.

Comentário : Na manhã desta sexta-feira vi este filme que tanta gente tem falado bem. Confesso que as suspeitas confirmam-se, o filme é bom e, dentro do género, está bastante aceitável. Ao início, as coisas custam a arrancar, mas depois e a partir de um dado momento, tudo passa a correr sobre rodas. O argumento é bom, embora tenha alguns exageros e um ou outro erro. O cão é um elemento importante para o desenvolvimento da história, confesso que deu e muito bem o seu contributo, originando duas cenas aflitivas. As personagens principais neste filme são duas, o homem cego, muito bem interpretado por Stephen Lang; e a jovem Jane Levy, aqui no papel da miúda que escapa a tudo, embora neste caso, muito debilitada, a actriz possui a melhor prestação da fita. Os dois atores que fizeram as personagens de seus amigos do crime estiveram razoáveis. A partir de uma certa altura, o clima de tensão e a violência física passam a estar sempre presentes e vão aumentando à medida que as coisas vão fugindo ao controlo dos três jovens criminosos. Aos poucos, vão-se descobrindo novas coisas sobre o passado e até o presente daquele homem cego, a cave esconde o seu maior segredo. O realizador joga também muito bem com os silêncios, nos facultando algumas cenas bastante angustiantes. Gostei do desenrolar dos acontecimentos e gostei igualmente do final do filme, embora tenha que confessar que era preferível o cego ter terminado no porão, e mais não digo. Um dos filmes mais aflitivos deste ano que possui um poderoso clima de tensão, suspense e claustrofobia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário