domingo, 18 de setembro de 2016

Abzurdah

Nome do Filme : “Abzurdah”
Titulo Inglês : “Abzurdah”
Ano : 2015
Duração : 91 minutos
Género : Biográfico/Drama
Realização : Daniela Goggi
Elenco : Eugenia Suarez, Esteban Lamothe, Gloria Carra, Rafael Spregelburd, Julieta Gullo, Tomas Ottaviano, Zoe Hochbaum, Lucia Pecrul, Julieta Vetrano, Malena Sanchez, Dana Basso, Paula Kohan,

História : Uma jovem rapariga inicia uma relação amorosa com um homem mais velho que a vai destruíndo aos poucos.

Comentário : Vi este filme argentino biográfico sobre Cielo Latini, a jovem que se tornou anoréctica e que tentou o suicídio, tudo por causa de uma relação não correspondida. Ela iniciou uma relação com um homem dez anos mais velho que ela que, apesar de no início ter corrido bem, depressa ele passou a evitá-la porque ia arranjando outras. A jovem não aceitou o desprezo dele e muito menos o fim da relação, ficou doente e quase perdeu a vida. Apesar de ter aspecto de tele-filme, a fita em causa transpira cinema, sem cair no lado lamechas que os filmes americanos do género vão sempre parar. O evoluir do estado degradante da protagonista é impressionante, parece mesmo que estamos a viver a situação. Eugenia Suarez tem uma interpretação fenomenal, até já recebeu um bem merecido prémio por isso.

O argumento é forte e a realizadora consegue nos transmitir o desespero que estas jovens sentem quando se encontram naquela situação. Facilmente simpatizamos com a protagonista, além de ser linda, é uma jovem como tantas outras, com sonhos e desejos. A actriz possui uma forte presença na tela, aliás, ela carrega o filme todo às costas, pelo que a realizadora depositou e bem nela todas as expectativas. O actor Esteban Lamothe faz bem o papel do nojento que se aproveita da “ninfeta”, usando e abusando dela sempre que lhe apetece, isto porque aproveita-se do facto da miúda estar loucamente apaixonada por ele. Depois de se fartar dela, passa a ignorá-la. O filme foca também como são a maioria dos homens, eles usam e abusam das mulheres até se cansarem delas e aproveitam-se do facto delas se sentirem sentimentalmente ligadas a eles, apenas querem sexo e recusam uma relação séria. A realizadora quis focar vários temas neste filme e conseguiu abordá-los de maneira bastante eficaz. Destaque também para o facto de algumas famílias não repararem nem se interessarem pelo tipo de vida que os filhos levam. Na actualidade e no mundo que vivemos, este filme serve de alerta para todos aqueles pais que têm em casa uma filha adolescente. 

Um comentário:

  1. "O filme foca também como são a maioria dos homens, eles usam e abusam das mulheres até se cansarem delas e aproveitam-se do facto delas se sentirem sentimentalmente ligadas a eles, apenas querem sexo e recusam uma relação séria."
    A maioria dos homens é assim? Não sei se dá para dizer tanto.

    ResponderExcluir