segunda-feira, 15 de agosto de 2016

The Other Side Of The Door

Nome do Filme : “The Other Side Of The Door”
Titulo Inglês : “The Other Side Of The Door”
Ano : 2016
Duração : 96 minutos
Género : Terror/Drama
Realização : Johannes Roberts
Elenco : Sarah Wayne Callies, Jeremy Sisto, Sofia Rosinsky, Logan Creran, Suchitra Pillai, Mishti Bangera, Shoa Hussain, Javier Botet.

História : Um casal vive com os seus dois filhos menores na Índia numa casa no campo. Um dia e num acidente de carro, apenas mãe e filha se salvam, provocando a morte do menino. Desde esse dia, a mãe não se perdoa e, numa tentativa de falar com o menino uma última vez para lhe pedir desculpa, aceita participar numa experiência que lhe permitirá tal feito. No entanto, ela não cumpre a regra mais importante que a empregada lhe recomendara. A partir desse dia, a existência daquela família transforma-se num verdadeiro inferno.

Comentário : Como filme de terror e se ignorarmos os imensos erros, a coisa até funciona. Apesar das coisas más que o filme tem, eu consegui “fechar os olhos” e assistir a tudo numa boa. Porque nem tudo é mau. Sim, o filme possui imensos erros, principalmente na lógica das coisas e perde-se um pouco por aí. Tem também poucos sustos, apenas a criatura chamada Myrtu é de arrepiar. A criatura é desempenhada pelo ator Javier Botet, o mesmo responsável por outras criaturas arrepiantes e medonhas do mundo dos filmes de terror, para dar um exemplo, foi ele quem fez a Nina Medeiros na sua fase terminal no filme “Rec”. Voltando ao filme, a fita sobrevive basicamente pelas prestações dos seus protagonistas principais e secundários. Sarah Wayne Callies, como mãe, esteve muito bem e emociona em algumas sequências. Jeremy Sisto, como pai e no pouco que aparece, não se pode dizer que estivesse mal, cumpriu os mínimos e nos minutos finais, dá um show. No papel de empregada indiana, Suchitra Pillai arrasou no seu papel, gostei bastante da sua prestação. Depois, temos a pequena Sofia Rosinsky, no papel de filha do casal, a miúda interpretou muito bem o papel de Lucy e, no final, chega mesmo a impressionar com aquilo que faz. No papel de irmão de Lucy e filho do casal e do pouco que aparece, Logan Creran esteve igualmente bem. Na sua forma de fantasma, o menino impressiona lá para o final ou naquela cena do caixão um pouco depois do inicio. Até o cão esteve bem. É um filme que vive às custas das prestações competentes de todo o elenco, mas falha no argumento cheio de buracos e nos imensos erros nos acontecimentos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário