sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Suicide Squad

Nome do Filme : “Suicide Squad”
Titulo Inglês : “Suicide Squad”
Titulo Português : “Esquadrão Suicida”
Ano : 2016
Duração : 134 minutos
Género : Ação/Aventura/Drama
Realização : David Ayer
Elenco : Margot Robbie, Cara Delevingne, Will Smith, Viola Davis, Jared Leto, Jai Courtney, Jay Hernandez, Joel Kinnaman, Adewale Akinnuoye Agbaje, Karen Fukuhara, Adam Beach, Scott Eastwood, Alain Chanoine, Ezra Miller, Shailyn Pierre Dixon, Ike Barinholtz, David Harbour, Jim Parrack, Corina Calderon, Daniela Uruena, Alex Meraz, Kevin Vance, Robin Atkin Downes, Ted Whittall.

História : Um grupo de perigosos vilões é recrutado pelo governo americano com o objectivo de executar uma missão demasiado arriscada e perigosa para ser entregue a super-heróis. Habituados a trabalhar por conta própria, os vilões são forçados a superar antigos conflitos individuais para trabalharem em equipa. Em troca, o governo diminui-lhes as penas e dá-lhes alguns mimos que eles pedem.

Comentário (Tem Spoilers) : Estava na dúvida se viria ou não aqui comentar este filme, mas deixem-me que vos diga que, com este filme, faço a minha despedida dos blockbusters, para mim chega. Tudo porque eu estou cansado deste tipo de filmes e na grande parte das vezes a culpa nem é dos realizadores, mas já lá iremos. Pessoalmente, eu tinha depositado uma enorme expectativa neste blockbuster, não só por ser diferente dos demais, mas também devido à publicidade dele feita e principalmente por causa do excelente trailer da ComicCon do ano passado onde se via a primeira apresentação do filme ao público geral. Repito, o trailer era excelente, embora os trailers seguintes estragassem ligeiramente a coisa e dessem a entender que afinal vinha mais do mesmo. Mesmo assim, eu fui vê-lo ao cinema. Calma, o filme não é assim tão mau quanto a crítica anda a escrever, eu gostei do filme, está melhor do que “Man Of Steel” e do que “Batman v Superman : Dawn Of Justice” . No entanto, tenho que confessar que esperava bem mais de uma história com estes protagonistas.

Na minha opinião, os grandes culpados quando um filme (blockbuster) é fraco ou é mal recebido pela critica especializada são mesmo os estúdios, que fazem e exigem alterações às versões originais dos realizadores, por factores variados, sendo os principais motivos o de ganharem mais dinheiro e o de agradar a um público jovem. O caso mais recente disso foi mesmo o mal amado “Batman v Superman : Dawn Of Justice” cuja versão original do realizador tinha cerca de 180 minutos e o estúdio exigiu a Zack Snyder que fizesse cortes no sentido da fita durar apenas 150 minutos, prejudicando assim não só as classificações da fita como também os admiradores deste tipo de cinema. Já para não falar do facto de colocarem à venda no mercado o DVD com a versão de cinema e o blu-ray com a versão estendida (a original). Também fizeram isso com as sagas “The Lord Of The Rings” e “The Hobbit”, perdão por não frisar outros exemplos. Para mim, isto está errado e, como já disse várias vezes em comentários anteriores, o cinema transformou-se numa máquina de fazer dinheiro e deixaram a arte de lado. Não me admirava nada se daqui a uns meses, colocassem à venda também a versão estendida de “Suicide Squad”. Já agora também queria dizer que o fracasso deste filme também se deve às alterações meses antes da estreia, nomeadamente de algumas cenas e de alguns diálogos de forma a que a coisa fosse uma espécie de fusão entre “Deadpool” e “Guardiões da Galáxia”, os dois maiores êxitos da Marvel até à data. Claro que tudo isto levou a que o produto final ficasse danificado e isso ficou provado com as críticas. Ainda assim, acredito que o filme vá fazer uma boa receita nas bilheteiras, porque a maioria do público quer é este tipo de cinema, querem é estes filmes, que nada possuem de arte. Já agora, na minha opinião, os melhores filmes de super-heróis são os três filmes que compõem a trilogia “The Dark Knight”, realizados por Christopher Nolan.

Mas vamos ao que interessa, o filme. Não gostei do começo do filme, acho errado apresentar alguns personagens daquela maneira, além disso, faltaram falar de dois. E depois temos imensas coisas que não fazem sentido no filme. Por exemplo, posso estar enganado, mas não se chega a saber qual a missão que Amanda Waller tinha para os vilões, porque eles são enviados às pressas para tentar resolver o problema da bruxa, problema esse que surge muito depois da reunião que a agente oficial tem com as chefias e colegas. Ou seja, então qual era a missão para eles, aquela antes destes acontecimentos se darem, nunca se chega a saber. Mas existem muitas outras coisas mal explicadas no filme. Outro exemplo, apesar de Deadshot ter dito que não matava mulheres e crianças, Amanda ordena-lhe que ele mate Harley Quinn em troca dele ter finalmente a filha para ele e o melhor sniper do planeta falha (porque quis, claro) o tiro fatal, não se percebe o motivo se em troca ele iria ter aquilo que sempre sonhou, não faz sentido e não foi explicado. Outro aspecto negativo é o argumento, cheio de lacunas. Outra coisa má foi não terem dado relevância a todos os membros do esquadrão de igual modo. Depois temos um bom ator num papel ridículo, falo do Joker. Verdade seja dita, o personagem de Jared Leto não está a fazer nada no filme, o Joker não serve para nada, se não aparecessem as suas cenas, não se perdia nada. Além disso, a prestação do ator é medíocre e ridícula. Outra coisa que ficou mal, a existência do vilão Incubus (“irmão” da bruxa) não serve para nada, é um personagem nulo, se fosse apenas Enchantress a vilã, já de si muito poderosa, seria o suficiente. Por último, o filme peca também pelo humor ridículo e por vários erros. Repito, o argumento é fraco, tem muitas lacunas e o final do filme é deplorável. 

Como aspectos positivos, temos quatro grandes prestações. Começo por Viola Davis, a verdadeira vilã do filme, ela tem uma interpretação bastante competente e é a segunda personagem mais forte do filme. Gostei bastante da firmeza da sua personagem que não precisou de poderes para mostrar a sua maldade. Depois temos a actriz/modelo Cara Delevingne (Paper Towns), aqui no papel da exploradora June Moon, que de vez em quando fica possuída por uma entidade maligna feminina que altera a sua aparência e faculta-lhe imensos e grandiosos poderes, essa entidade é conhecida como Enchantress, a personagem mais original do filme, embora a meio do longa, ela evolua para uma deusa maléfica ridícula. Cara Delevingne tem igualmente uma boa prestação e foi-lhe atribuída uma excelente personagem, só estou a falar da bruxa do inicio da fita. Claro que o facto de June Moon ter sobrevivido no final foi um grave erro do roteiro. De seguida, seguimos para Will Smith, seguramente o melhor personagem masculino do filme, que se deve principalmente ao excelente ator que ele é. Deadshot assenta-lhe muito bem e é à história com a sua filha que se deve a componente dramática do filme. Além disso, a química de Deadshot com Harley Quinn é perfeita. Por último, temos a linda e sexy Margot Robbie que se pode resumir facilmente por ser o melhor de “Suicide Squad”, a sua Harley Quinn é a melhor personagem do filme e o principal ingrediente para que tal tenha acontecido é a loucura da sua personagem. Harley Quinn é poderosa, linda, sexy e louca e isto foi uma mistura que se revelou de forma eficaz e resultou na perfeição. Os seus diálogos são deliciosos e gostei bastante da maneira como ela age com os outros personagens. Adorei as suas roupas. Não era preciso o Joker para a fazer brilhar, ela é uma estrela com luz própria (ver as duas melhores fotos da sua personagem em baixo). A miúda é simplesmente o melhor do filme. E pronto, das prestações é só isto que tenho para dizer. Amanda Waller, Harley Quinn, Deadshot e Enchantress (não June Moon) são as melhores personagens de “Suicide Squad”, os outros, por culpa de quem manda, não viram as suas personagens serem mais aprofundadas. 

Depois, temos uma boa banda sonora e bons efeitos especiais e a isto junta-se um bom som e uma espectacular fotografia. Uma última nota positiva para a caracterização das personagens, algumas devem ter dado imenso trabalho. O filme enquanto objecto de entretenimento funciona muito bem e é bem superior aos dois anteriores filmes da DC Comics, mas como objecto cinematográfico é fraco. Penso mesmo que o principal erro do fracasso destes e de outros blockbusters é o facto de quem não deve meter o dedo onde não devia e só fazer porcaria, com a intenção de lucrar e de ganhar o máximo dinheiro possível, à custa de parvos como eu que ainda perco o meu tempo com este tipo de filmes. Resumindo, gostei de “Suicide Squad” e esperava dele que fosse o melhor blockbuster do ano, o meu erro foi esse, esperava mais e muito dele porque pensava que era um filme diferente. Apanhei uma desilusão, apesar das coisas boas que o filme tem. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário