segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Jason Bourne

Nome do Filme : “Jason Bourne”
Titulo Inglês : “Jason Bourne”
Titulo Português : “Jason Bourne”
Ano : 2016
Duração : 120 minutos
Género : Ação/Thriller
Realização : Paul Greengrass
Elenco : Matt Damon, Julia Stiles, Alicia Vikander, Tommy Lee Jones, Vincent Cassel, Ato Essandoh, Riz Ahmed, Scott Shepherd, Bill Camp, Vinzenz Kiefer, Gregg Henry.

História : Quase dez anos depois de ter desaparecido dos radares da CIA, Jason Bourne ou David Webb, vive uma vida solitária e sobrevive à custa de vários biscates, principalmente de combates de rua. Um dia, reencontra Nicky Parsons, uma antiga funcionária da CIA e amiga sua que o ajudou a fugir naquela altura. A jovem conta-lhe então que a CIA tem um programa novo e aconselha-o a descobrir mais sobre o seu passado. Assim, Jason Bourne e Nicky Parsons passam a estar novamente na mira de gente muito perigosa que os quer matar a qualquer preço, antes que os dois descubram toda a verdade. A partir daí, Jason Bourne vai descobrindo cada vez mais coisas sobre o seu passado, coisas essas que podem colocar em causa o seu futuro.

Comentário : Eu gostei bastante dos primeiros três filmes da saga, principalmente do terceiro (Ultimato), mas depois descobri uma falha ou um erro grave na narrativa. Em “Supremacy”, Jason Bourne é informado que o seu verdadeiro nome é David Webb e assim ele fica informado da preciosa informação, no entanto, em “Ultimatum”, ele é novamente informado dessa dica, reagindo com surpresa. Ou seja, devem se ter esquecido que ele já tinha sido informado do seu verdadeiro nome no segundo filme. E depois, temos “The Bourne Legacy”, um filme que eu acho inútil e totalmente desnecessário, uma tentativa de angariar mais dinheiro com um franchise que devia ter ficado pela terceira fita. Agora, Paul Greengrass aparece-nos com este quinto filme, que é uma sequela de “Ultimato”. Confesso que não gostei nada deste filme e o acho desnecessário, o único motivo para o terem feito é simplesmente o lucro, ganharem mais dinheiro. Das poucas coisas que gostei foi das únicas duas sequências de ação : a da mota durante a manifestação um pouco depois do inicio (tudo muito bem filmado e conseguido, confesso) e depois, perto do final, o combate entre os dois e anterior perseguição. E pronto, o filme não nos dá mais nada.

Temos assim mais do mesmo, eu tive a sensação de já ter visto este filme, já vi este filme em “Identity”, já vi este filme em “Supremacy” e voltei a vê-lo em “Ultimatum”, apenas mudaram o nome do programa e as personagens inimigas. É tudo muito parecido com os primeiros três filmes, tudo bastante familiar. Matt Damon está com o mesmo estilo de sempre, gostei de o voltar a ver neste papel. Achei ingrato o destino que o realizador deu a Nicky Parsons, detestei mesmo. Os vilões não são nada de especial, Vincent Cassel não está melhor do que o agente inimigo de “Ultimatum”, por exemplo. Eu apanhei mesmo uma grande desilusão com este quinto filme, penso mesmo que Paul Greengrass estragou uma história que tinha terminado muito bem em “Ultimato”. Volto a dizer, é tudo já visto, é um filme já visto três vezes, não nos trouxe nada de novo, aquela história que inventaram de meter o pai do protagonista ao barulho é ridículo, não tinham mais por onde explorar a coisa. Apenas a trilogia me ficará na memória. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário