domingo, 28 de agosto de 2016

Crimson Gold

Nome do Filme : “Talaye Sorkh”
Titulo Inglês : “Crimson Gold”
Titulo Português : “Sangue e Ouro”
Ano : 2003
Duração : 94 minutos
Género : Drama
Realização : Jafar Panahi
Elenco : Hossain Emadeddin, Kamyar Sheisi, Azita Rayeji, Shahram Vaziri, Ehsan Amani, Pourang Nakhael, Kaveh Najmabadi, Saber Safael, Yadollah Samadian, Behnaz Houri, Mehran Rajabi, Ramin Rastad.

História : Hussein é um simples entregador de pizzas que está noivo da irmã do seu melhor amigo. Ele leva uma vida complicada e cheia de necessidades, acabando por se dedicar a pequenos roubos de malas de senhoras, juntamente com o seu amigo. Com o passar do tempo, Hussein vai sendo levado ao extremo, tudo devido às constantes injustiças que vai testemunhando e às humilhações a que vai sendo sujeito.

Comentário : Mais um filme do Irão que eu tive a grande oportunidade de ver. Gostei muito desta fita. O final do filme tem a sua continuação no inicio da fita. Ou seja, acabamos por saber o que realmente aconteceu ao protagonista. Jafar Panahi (Taxi) é um dos realizadores que está proibido de filmar no seu país e mesmo assim continua a filmar, mesmo de forma clandestina. Já o fez algumas vezes depois deste filme que estou agora a analisar. Ele é uma prova viva de que a sétima arte não conhece limites nem pode ser travada por querermos dizer e mostrar as situações reais dos nossos países, ainda que isso seja feito como denuncia. Neste pequeno filme independente, o realizador mostra as diferenças entre a vida de um rico e a vida de um pobre, ou podemos falar no plural se fosse necessário. É a diferença de classes. O personagem principal é levado ao extremo devido a um enorme número de situações, não somente as que vemos na fita, como também aquelas que temos que imaginar que ele já passou. O argumento está muito bem articulado e o filme tem cenas muito bem construídas. Tem também algum humor, sem nunca cair no ridículo. Veja-se a sequência em que Hussein distribui pizza pelos criminosos. E o que dizer do chiar de um rato que se ouve quase sempre que a camara filma o quarto do protagonista. Existem muitos Husseins por esse mundo fora e não devemos cuspir para o ar porque nos pode cair em cima, a vida é muito injusta, principalmente com os mais desfavorecidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário