quarta-feira, 6 de julho de 2016

Dear Eleanor

Nome do Filme : “Dear Eleanor”
Titulo Inglês : “Dear Eleanor”
Ano : 2016
Duração : 90 minutos
Género : Drama/Aventura
Realização : Kevin Connolly
Elenco : Liana Liberato, Isabelle Fuhrman, Jessica Alba, Josh Lucas, Meggie Maddock, Patrick Schwarzenegger, Murray Wyatt Rundus, Ione Skye, Claire Van Der Boom, R. J. Wagner, Luke Wilson, Paul Johansson, Joel Courtney, Kellie Cage, Aimee Bell.

História : Ellie e Maxine são duas lindas e simpáticas adolescentes que, cheias de vida, têm imensos sonhos e objetivos. Um dia, as duas miúdas decidem fazer uma viagem de carro por toda a América com a intenção de encontrarem a grande Eleanor Roosevelt.

Comentário : Sou um grande admirador das jovens atrizes Liana Liberato (Trust) e Isabelle Fuhrman (Orphan), pelo que tento ver todos os filmes em que elas entram. À um ano, soube pela IMDB que Kevin Connoly ia juntar as duas num road-movie cuja ação decorre em 1962 e fiquei surpreendido e curioso. Esta tarde, finalmente consegui ver o filme e confesso ter gostado, embora tenha coisas que não me agradou. O filme peca pelo humor que algumas cenas abarcam e peca igualmente por algumas situações ridículas, por exemplo, o pai de Ellie e o rapaz seguirem-nas numa moto dupla por todo o país. A própria personagem de Jessica Alba, apesar de ter resultado, não condiz muito bem com o universo das duas miúdas e muito menos com aquilo que elas estão a viver. 

Como aspectos positivos, temos o excelente factor de se tratar de um bom road-movie e neste aspeto a coisa funcionou. Gostei do personagem do fugitivo que acompanha as meninas a maior parte da viagem, a relação que ele cria com elas é excelente. Adorei a sequência na prisão com ele a fazer-se passar por pai das miúdas e marido de Daisy. Liana Liberato e Isabelle Fuhrman, mais uma vez, tiveram boas interpretações e as duas funcionaram muito bem juntas, a empatia entre estas duas pequenas profissionais resultou na perfeição. Cabe às duas os melhores momentos da fita, como melhor cena eu apontava aquela em que elas fazem aquele número dançado para Daisy no quarto do motel. Diria que foi uma grande ideia juntar estas duas raparigas talentosas no mesmo filme, porque ambas fizeram um excelente trabalho, o filme resulta precisamente devido a elas. Em resumo, gostei deste filme inédito e lamento somente hoje ter conseguido vê-lo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário