domingo, 12 de junho de 2016

The Correspondence

Nome do Filme : “La Corrispondenza”
Titulo Inglês : “The Correspondence”
Titulo Português : “A Correspondência”
Ano : 2016
Duração : 123 minutos
Género : Drama/Romance/Mystery
Realização : Giuseppe Tornatore
Produção : Isabella Cocuzza/Arturo Paglia
Elenco : Jeremy Irons, Olga Kurylenko, Shauna Macdonald, Irina Kara, Anna Savva, Simon Meacock, James Smillie, James Bloor, Stuart Adams, James Warren, Rod Glenn, Darren Whitfield, Ian Cairns, Colin MacDougall, Simon Johns, Carolina Massie, Florian Schwienbacher, Chantal Brosens, Daphne Mereu, Patricia Winker.

História : Amy é uma jovem que mantém uma relação secreta com um professor, casado e décadas mais velho que ela. Um dia, ele desaparece sem deixar rasto. Algum tempo depois, ela começa a receber mensagens suas em vários suportes : e-mail, cartas, SMS ou videos gravados em DVD e entregues pelo correio. Sem qualquer explicação sobre a localização dele, e determinada a perceber as suas motivações, Amy tenta descortinar os seus passos no labirinto de missivas que teimam em chegar.

Comentário : Giuseppe Tornatore trouxe-nos este ano este filme que conta uma história de amor um pouco dificil de entender. Eu mesmo confesso não ter ficado a perceber algumas coisas, a situação em si não é muito credível. Gostei de ver estes dois atores contracenarem juntos, ainda que só estivessem juntos fisicamente no ínício da fita. Jeremy Irons é um dos meus atores preferidos, gosto imenso da sua forma de actuar nos filmes, nesta fita, ele está um verdadeiro senhor e, apesar de aparecer quase todo o filme em gravações, provou mais uma vez que ainda tem muito para dar. Por seu lado, a linda Olga Kurylenko também não desiludiu, o realizador dá-nos bons planos dela, eu adorei aquele vídeo que ela fez deitada no jardim em frente à casa da mãe. A atriz teve uma excelente interpretação, as cenas em que ela chora foram aquelas que mais me comoveram. A banda sonora é mais uma vez assinada pelo mestre Ennio Morricone, obtendo neste filme lindas melodias e admiráveis arranjos musicais. Não gostei de algumas cenas, principalmente daquelas em que a protagonista faz de duplo de cinema. Claro que não é um dos melhores filmes de Giuseppe Tornatore, nem tão pouco um dos melhores do ano, mas é seguramente o filme onde a linda Olga Kurylenko está melhor e o filme onde ela obteve a sua melhor interpretação. Gostei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário