sábado, 18 de junho de 2016

Partisan

Nome do Filme : “Partisan”
Titulo Inglês : “Partisan”
Ano : 2015
Duração : 98 minutos
Género : Drama
Realização : Ariel Kleiman
Produção : Anna McLeish/Sarah Shaw
Elenco : Vincent Cassel, Jeremy Chabriel, Florence Mezzara, Anastasia Prystay, Katalin Hegedus, Daniel Vernikovski, Samuel Eydlish, Csenge Birloni, Sapidah Kian, Zsofia Stavropoulos, Viviana Martinez, Alexander Dahlberg, Anna Eydlish, Natalia Gorbacheva, Sosina Wogayehu, Kidus Melaku, Adrian Wilson, Wietse Cocu, Alexander Kuzmenko, Oscar Dahlberg, Rosa Voto, Tahlia Mercuri, Raphael Tokarev, Bemisgana Kifle, Frank Moylan, Mzia Kapanadze, Georgia Beasley.

História : Um homem criou e mantém um mundo habitado por ele, pelas suas várias mulheres e pelos filhos e filhas que vai tendo delas. Ele rege-se perante regras por si criadas e as impõe a quem com ele aceita habitar. Até um dia que toma uma decisão errada.

Comentário : Claramente que a decisão errada da sinopse é a de levar para o seu mundo a mulher de cabelos vermelhos e o seu filho atrasado mental chamado Leo, decisão essa que tem as consequências que o filme vai mostrando até à última cena. Pessoalmente, gostei do filme, é cinema australiano e eu confesso gostar do ator Vincent Cassel. Fiquei bastante surpreendido pela positiva com este pequeno filme independente. O ator em causa possui, mais uma vez, uma prestação brilhante. Gostei das prestações dos jovens Jeremy Chabriel e Anastasia Prystal (foto em baixo), as crianças mais velhas da comunidade de Gregory, ou seja, os seus filhos mais velhos. A sequência dos dois no Karaoke é a melhor do filme. Florence Mezzara também não está nada mal. O filme levanta muitas questões, sendo a principal o facto de o modo como vivemos ser ou não o melhor, ou ainda, será que estamos a criar bem as nossas crianças. Muito bem filmado, este é daqueles filmes que tem que ser visto com muita atenção, o argumento é complexo, dada a natureza da coisa. Confesso que gostei de praticamente tudo no filme, mas tenho que dizer que detestei o final, embora este aspecto não estrague o geral, que é um filme muito bom. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário