domingo, 24 de abril de 2016

Cemetery Of Splendor

Nome do Filme : “Rak Ti Khon Kaen”
Titulo Inglês : “Cemetery Of Splendor”
Titulo Português : “Cemitério do Esplendor”
Ano : 2015
Duração : 120 minutos
Género : Drama
Realização : Apichatpong Weerasethakul
Elenco : Jenjira Pongpas Widner, Jarinpattra Rueangram, Banlop Lomnoi, Sakda Kaewbuadee.

História : Soldados com uma misteriosa doença de sono são transferidos para uma clínica temporária numa antiga escola. O espaço, repleto de memórias, torna-se num mundo revelador para a voluntária Jenjira, enquanto cuida de Itt, um bonito soldado, que nunca recebe visitas de familiares. Ela fica amiga de Keng, a jovem médium que usa os seus poderes psíquicos para ajudar as famílias a comunicar com os homens que estão a dormir. Os médicos exploram formas, incluindo a terapia da luz colorida, para aliviar os sonhos conturbados dos homens. No decorrer do tempo que passa no local, Jenjira percebe que poderá haver uma ligação entre a síndrome enigmática dos soldados e a mítica região.

Comentário : Esta semana estreia o novo filme do tailandês Apichatpong Weerasethakul, uma das figuras máximas do actual cinema contemplativo. Pessoalmente, gostei do filme, embora tenha que admitir que não é dos seus melhores trabalhos, o cineasta já realizou obras bem melhores no passado. Ainda assim, estamos perante um bom filme.

Como é habitual no cinema do realizador, este filme aborda o misticismo, crenças e o sobrenatural, numa obra que dificilmente agradará à maioria. O filme é tão concentrado no seu tema principal, que por vezes, parece que estamos a assistir às mesmas cenas. Visto que os homens padecem da tal doença do sono, as mulheres são as personagens principais, pessoalmente, gostei das prestações das protagonistas.

Não é um filme muito agradável de se ver e muito fácil de se acompanhar, é somente para os que estão habituados ao cinema do cineasta. Numa declaração de uma das personagens femininas, os soldados estão sempre a dormir, porque os espíritos sugam-lhes a energia para combaterem. O director gosta de misturar e inserir as crenças do seu país nos seus filmes e serve-nos tudo como se fosse algo mágico e encantador, por vezes, difícil de perceber. Adorei a galinha com as suas crias. Este filme foi nomeado para o Festival de Cannes de 2015. Um bom filme. 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário