sexta-feira, 4 de março de 2016

Sensoria

Nome do Filme : “Sensoria”
Titulo Inglês : “Sensoria”
Ano : 2016
Duração : 80 minutos
Género : Terror/Drama
Realização : Christian Hallman
Produção : Christian Hallman
Elenco : Lanna Ohlsson, Norah Andersen, Alida Morberg, Karin Bertling, Boel Larsson, Harald Leander, Rafael Pettersson.

História : Depois de ter perdido o emprego e a filha pequena, Caroline Menard muda de casa e instala-se num apartamento detentor de um passado negro. Com o passar dos dias, depressa Caroline se apercebe que algo de estranho se passa naquelas instalações, até mesmo porque os poucos vizinhos que possui, são muito estranhos. A situação agrava-se quando conhece uma estranha menina que todos no prédio dizem já ter morrido.

Comentário : Uma mulher chega a casa e deambula pelas divisões, mexe nos seus pertences patentes em caixas por arrumar e deita-se um pouco. Um objecto se move, fazendo o respectivo barulho, ela volta para verificar o que se passa, mas acaba por esquecer o assunto. Mais tarde, essa mesma mulher vai à cozinha buscar qualquer coisa, ao sair da divisão, a porta de um armário abre-se sozinha, expelindo um prato para o chão, partindo-se. Para a mulher, é como se nada de anormal se tivesse passado. Dias depois, uma miúda surge do nada e essa mulher nada pergunta, aceita ficar sua amiga e acredita em tudo o que a miúda lhe diz. As noites são de grande silêncio, de silêncios vivem-se igualmente alguns momentos do dia, porque a mulher em causa não trabalha, não faz nada, está a tentar refazer-se do trauma de ter perdido a filha, que morreu. 

Grande parte do que está escrito em cima poderiam ser erros de um argumento fraco, mas não é o caso. O argumento é bom, está é mal trabalhado. Trata-se de mais um filme de fantasmas, mas é uma fita diferente, mais séria e mais calma, mais serena, plena de silêncios e de tempos. A ação do filme decorre quase sempre no prédio e nas respectivas divisões do mesmo, claro que temos clichés, por exemplo, luzes a piscar e uma torneira constantemente a pingar. Temos também a cena alucinante da banheira e uma velha louca. Temos um atrasado mental psicótico e um invisual e um cão. E depois temos Caroline Menard, a personagem principal do filme, muito bem interpretada por Lanna Ohlsson, gostei bastante da prestação desta actriz, cuja existência eu desconhecia. 

Por último, temos a jovem Norah Andersen (a menina do poster e de duas fotos aqui colocadas), que e apesar da idade, teve a segunda melhor prestação do filme. A sua My é uma boa personagem, repleta de grande mistério. Claro que no final a sua existência é devidamente explicada e nós ficamos satisfeitos por saber o porquê de tudo aquilo e de sabermos das coisas que fizeram à miúda e também daquilo que a miúda fez para se vingar. Lanna Ohlsson e Norah Andersen possuem uma boa química. O final é muito bom, pessoalmente, nunca imaginei que o filme terminasse daquela maneira. Lamentável foram algumas coisas terem ficado por explicar (sobre os vizinhos, principalmente), ainda assim, fiquei bastante satisfeito com este pequeno filme de terror.

Nenhum comentário:

Postar um comentário