sábado, 18 de outubro de 2014

The Babadook

Nome do Filme : “The Babadook”
Titulo Português : “O Senhor Babadook”
Titulo Alternativo : “Mister Babadook”
Ano : 2014
Duração : 94 minutos
Género : Drama/Terror
Realização : Jennifer Kent
Produção : Kristina Ceyton/Jonathan Page/Kristian Moliere/Pete Best
Elenco : Essie Davis (Amelia), Noah Wiseman (Samuel), Daniel Henshall (Robbie), Hayley McElhinney (Claire), Chloe Hurn (Ruby), Barbara West (Mrs. Roach), Cathy Adamek (Prue), Benjamin Winspear (Oskar), Craig Behenna (Warren), Jacqy Phillips (Beverly), Bridget Walters (Norma).

História : Uma jovem mãe chamada Amelia vive sozinha com o filho menor, Samuel, praticamente desde que o marido faleceu, devido a uma coincidência do destino. Pouco depois do nascimento do filho e da morte do marido, Amelia nunca mais teve uma vida calma e normal. Com o passar dos anos, Samuel foi-se revelando um menino bastante problemático, o que por vezes, enervava a mãe. A ida do menino para a escola primária ainda agravou mais a relação entre mãe e filho. Certa noite e antes do filho ir dormir, Amelia lhe lê uma história de um livro supostamente infantil, um estranho livro que foi parar lá a casa chamado “Mister Babadook”. O que Amelia desconhecia, era que a leitura daquele estranho livro significava uma espécie de evocação para permitir que um demónio entrasse na sua casa, e tornasse a sua vida e a vida do seu filho num verdadeiro inferno.

Comentário : Fui ao cinema ver este filme e confesso que gostei bastante dele, só o facto de não ser um filme de terror americano já é razão mais que suficiente para o ir ver. Na realidade, este filme de terror bate aos pontos e assusta muito mais do que a maioria dos filmes de terror americanos que surgiram nos últimos anos. A realização tem mão feminina, Jennifer Kent misturou aspectos de outros filmes, mas deu ao seu filme algo de novo, ou seja, inovou e os amantes deste género cinematográfico só têm que lhe agradecer por isso. Existe uma coisa neste filme, igualmente positiva, que tem a ver com a qualidade do som, por vezes, chega mesmo a assustar, nomeadamente nos poucos momentos em que o demónio Babadook imite os seus sons.

Este filme possui muitos outros aspectos positivos, por exemplo, o tipo de relação que existe entre a mãe desesperada e o seu filho estranho e problemático. Mesmo sem a presença do demónio em questão lá em casa, era perfeitamente aceitável o estado alterado de Amelia, o filho dela é mesmo irritante e era bem capaz de dar cabo dos nervos a qualquer um. A tudo isto, convém adicionar o facto de Amelia nunca ter superado a morte do marido e pai do seu filho. A nivel das interpretações, Essie Davis (a mãe) e Noah Wiseman (o filho) estão soberbos, muito a cima da média do nivel de interpretação que se vê neste género fílmico. O final é perturbador. Muito honestamente, este “The Babadook” foi mais uma das grandes surpresas do ano. A Austrália é boa a fazer cinema de terror, basta-nos para isso, recordarmos “Wolf Creek”. Em relação ao demónio “Babadook”, confesso que me assustou em algumas cenas, isto porque ele só aparece em poucas cenas. Tirando um ou outro erro, estamos perante um excelente filme de terror. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário