quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Boyhood

Nome do Filme : “Boyhood”
Titulo Português : “Momentos De Uma Vida”
Ano : 2014
Duração : 166 minutos
Género : Drama
Realização : Richard Linklater
Produção : Richard Linklater
Elenco : Ellar Coltrane (Mason), Lorelei Linklater (Samantha), Patricia Arquette (Olivia), Ethan Hawke (dad), Steven Prince (Ted), Libby Villari (grandma), Marco Perella (Bill), Jamie Howard (Mindy), Andrew Villarreal (Randy), Ryan Power (Paul), Charlie Sexton (Jimmy), Byron Jenkins (Barber), Barbara Chisholm (Carol), Matthew Martinez Arndt (Lee), Cassidy Johnson (Abby), Cambell Westmoreland (Kenny), Tamara Jolaine (Tammy), Evie Thompson (Jill), Mika Odom (Gabi), Jenni Tooley (Annie), Richard Jones (Cliff), Karen Jones (Nana), Zoe Graham (Sheena), Jessie Tilton (April), Taylor Weaver (Barb), Jessi Mechler (Nicole), Bill Wise (Steve).

História : A vida de Mason, ao longo das duas fases mais complicadas da sua vida, a infância e a adolescência, pelo meio, existe uma vida cheia de emoções e dramas.

Comentário : Ainda estou sem palavras para descrever a sensação com que fiquei quando acabei de ver este filme de Richard Linklater, o mesmo responsável pela trilogia “Before”. Este “Boyhood” é algo inédito no mundo da sétima arte. É um filme que vai alterar bastante a forma de se fazer cinema daqui para a frente. E explico porque motivo este filme é tão especial. Para já, quero dizer que “Boyhood” é um dos melhores filmes que eu vi em toda a minha vida. Richard Linklater fez algo inovador : Durante mais de 13 anos, pegou em duas crianças de aproximadamente 6 anos de idade, contratou um casal de atores famosos para fazerem de pais separados dessas duas crianças, arranjou um argumento que foi escrito durante esses 13 anos, uma vez em cada um desses 13 anos reuniu o mesmo elenco para filmar. O resultado é este filme que demorou cerca de 13 anos a ser feito, acompanhou os mesmos atores principais durante 12 anos, no caso do personagem principal (Mason), acompanhou-o desde os 6 até aos 18 anos. Fez a mesma coisa com a atriz que desempenhou a irmã do protagonista, que por acaso, é a própria filha do realizador na vida real. Enfim, fez algo memorável e inédito. 

Adorei tudo neste filme : a história, o elenco principal e o grande elenco de secundários, a fotografia, a banda sonora, os detalhes, o cuidado extremo em manter o perfil dos quatro atores principais de acordo com a passagem dos anos, a realização está impecável, é um filme que fala da própria vida onde eu mesmo me vi retratado em algumas partes, é um projeto que deve ter dado imenso trabalho a fazer e dou muito valor a isso. O filme já consta nas listas de imensos criticos por esse mundo fora como sendo um dos melhores de 2014. Confesso ainda que este filme me fez rir, me fez chorar perto do final, naquela cena em que a mãe discute com os filhos e lhes diz que eles têm que ir à vida deles, é daqueles raros filmes que nos deixa a pensar na vida mas, a cima de tudo, nos dá uma grande lição de vida. Duvido que venha a gostar assim tanto de um filme nos próximos anos, não estou a exagerar, “Boyhood” é um filme de grande qualidade, um poderoso objeto cinematográfico. Ao ver este excelente filme, tive uma das melhores experiências da minha vida. A vida e a arte (cinema) se uniram. Lindo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário