segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Sei Lá

Nome do Filme : “Sei Lá”
Ano : 2014
Duração : 109 minutos
Género : Drama/Romance/Comédia
Realização : Joaquim Leitão
Elenco : Leonor Seixas (Madalena), Ana Rita Clara (Luísa), Gabriela Barros (Catarina), Patrícia Bull (Mariana), António Pedro Cerdeira (Francisco), David Mora (Ricardo), Pedro Granger (Gonçalo), Rui Unas (Paulo), Rita Pereira (Odete).

História : Madalena e as suas três melhores amigas jantam e falam do seu prato favorito : homens. Madalena ainda não recuperou do fato do ex-namorado, Ricardo, a ter deixado. Luísa é uma devoradora de homens e usa-os como muitos usam as mulheres. Ao contrário de Luísa, Mariana diz que já desistiu de pensar em homens e Catarina, a casada e mãe de filhos do grupo, tem de lidar com um marido adúltero. Contudo, o centro das atenções é Madalena, prestes a completar 30 anos de idade, encontra-se numa encruzilhada da sua vida. Ela conhece um novo homem e deixa-se envolver, mas as coisas pioram quando Ricardo regressa a Lisboa.

Comentário : Hoje vi este filme e, para meu espanto, gostei do que vi. O filme é muito diferente daquilo que estamos acostumados a ver no cinema nacional. Assim, neste caso, temos poucas asneiras, poucas cenas de sexo, não tem piadinhas ridiculas, o sexo nunca é explícito, as mulheres raramente são mal tratadas, os homens estão em desvantagem, enfim, quase tudo é o oposto daquilo que habitualmente vemos no cinema tuga destinado às grandes massas. Lembram-se daquela linda menina chamada Leonor Seixas que fez de adolescente vitima de violação em “A Passagem da Noite”, pois bem, a menina cresceu e virou uma linda mulher e volta a ser protagonista num filme. Claro que ela voltou a ter uma excelente interpretação, a sua personagem é a melhor do filme, numa fita em que as mulheres têm a última palavra, ou seja, elas são as maiores. O filme comete um erro habitual nos filmes portugueses, ter um par de palhaços de serviço, neste caso esses papéis couberam a Rita Pereira e a Rui Unas. O quarteto das senhoras esteve muito bem, seja como atrizes, seja como personagens. O filme fala do amor e da forma como algumas mulheres o vivem. O final é uma pérola, nomeadamente naquilo que diz respeito à brutal forma que Francisco arranja para provar o amor que sente por Madalena. Como homem que sou, adorei este filme e sim, elas (as mulheres) são mesmo o melhor do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário