sábado, 19 de julho de 2014

Ken Park

Nome do Filme : “Ken Park”
Titulo Português : “Ken Park – Quem És Tu?”
Ano : 2002
Duração : 96 minutos
Género : Drama/Pornográfico
Realização : Larry Clark/Edward Lachman
Elenco : Adam Chubbuck, James Bullard, Seth Gray, Eddie Daniels, Zara McDowell, Maeve Quinlan, Stephen Jasso, Wade Williams, Tiffany Limos, Julio Mechoso, James Ransone, Patricia Place, Mike Apaletegui, Harrison Young, Ashley Crisp, Shanie Calahan, Chelsey Earlywine, Loranne Maze, Luna.

História : As vidas complicadas de cinco adolescentes.

Comentário : Depois de bons filmes como “Kids” e “Bully”, o realizador fez este filme polémico chamado “Ken Park”. Não me enganei no género colocado na ficha técnica em cima, o filme tem cenas pornográficas, com principal destaque para a sequência de sexo final. É um filme independente, tal como são todos os filmes trazidos por Larry Clark e por Harmony Korine. E são polémicos, pelos assuntos que abordam, quase sempre relacionados ou com a infância ou com a puberdade. Todos os atores são desconhecidos, o que ajudou a dar mais realismo à coisa. O sexo está filmado de forma admirável, veja-se a linda cena inocente entre a menina mulatinha e o seu namorado ou a credível cena de sexo oral que o rapaz atrevido faz à mãe da namorada. Estamos perante um filme amador, quase caseiro, parece que o realizador quis fazer um filme com os vizinhos e filhos desses mesmos vizinhos.

No filme acompanhamos cinco histórias. Temos um rapaz que aparenta estar bem, mas comete suicidio num espaço público repleto de jovens e crianças; temos um jovem menor de idade que satisfaz as fantasias sexuais da mãe da namorada enquanto a filha pequena da mulher vê o que quer na TV (incluindo cenas de mulheres nuas); temos uma menina que é filha de um pai viúvo um bocado atrasado e que está no despertar sexual com o namorado mas as coisas não terminam muito bem para os dois; temos depois um adolescente que está a ser criado pela mãe e por um padrasto que não o suporta e que faz a vida negra ao jovem e, por último, temos um adolescente bastante problemático que está a ser criado pelos avós que, apesar de serem generosos e gostarem imenso dele, são odiados pelo neto e a situação termina em desgraça. Todas estas cinco histórias são pautadas pela polémica e o realizador mostra tudinho sem nos poupar a nada, veja-se por exemplo, a cena em que o último jovem que falei se masturba ao ver e ouvir um simples jogo de ténis. Confesso que gostei deste filme, adoro obras polémicas, embora tenha que dizer que mudava algumas coisas em relação ao rumo dos acontecimentos passados neste filme. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário