domingo, 20 de julho de 2014

Black Venus

Nome do Filme : “Venus Noire”
Titulo Português : “Vénus Negra”
Titulo Inglês : “Black Venus”
Ano : 2010
Duração : 160 minutos
Género : Drama/Histórico
Realização : Abdellatif Kechiche
Elenco : Yahima Torres (Sarah Baartman/Saartjie), Andre Jacobs (Hendrick Caezar), Olivier Gourmet (Reaux), Elina Lowensohn (Jeanne), François Marthouret (Georges Cuvier), Michel Gionti (Jean Baptiste Berre), Jonathan Pienaar (Alexander Dunlop), Patrick Albenque (Zachary Macaulay), Natania Van Heerden (Leslie Stanzler).

História : Saartjie deixa a sua terra natal, no sul de África, com o seu dono para expor o seu corpo em espetáculos de aberrações em Londres. Livre e escravizada ao mesmo tempo, a mulher acaba por tornar-se um ícone.

Comentário : Ontem vi este filme quando ele passou nas noites cinematográficas de sábado da RTP2. Nunca o tinha visto e confesso que até simpatizo bastante com o trabalho do realizador Abdellatif Kechiche. Fiquei impressionado com o filme, até mesmo porque desconhecia completamente a história desta mulher, também desconhecia que ela existiu na realidade e que tudo o que vemos na fita aconteceu mais ou menos da forma retratada. É impressionante percebermos que existe gente muito maldosa capaz de viver às custas da desgraça de outros seres humanos. Quase chorei perante o sofrimento da personagem principal, só de imaginar que houve alguém que foi sujeita àquilo até chega a causar arrepios.

O trabalho do realizador é excelente, chega a revoltar em algumas partes. Já sabia que antigamente, existiam pessoas que por serem diferentes, eram exploradas das mais diferentes maneiras, mas chega mesmo a ser revoltante. A cena que mais me impressionou foi aquela sequência morosa em que a senhora é obrigada a deitar-se numa espécie de puff e as pessoas observam as partes íntimas dela, tirando gozo e satisfação de tal exibição, até custa a acreditar que existam pessoas que humilhem assim tanto um ser humano. Duvido que este filme tivesse tido sucesso quando passou nas nossas salas de cinema, aliás, calculo que este filme deve ter tido estreia exclusiva no Cinema King. O final também impressiona, após a morte da senhora, tratam os seus restos mortais como se ela fosse alguém de outro planeta, alguma divindade, quando na realidade, a mulher tinha aquele aspecto fisico, apenas por pertencer a uma tribo africana com aquelas características físicas. Gostei bastante do filme, mas tenho que reconhecer que não é para todos os publicos e muito menos é filme para todas as mentes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário