domingo, 1 de junho de 2014

Kings And Queen

Nome do Filme : “Rois Et Reine”
Titulo Português : “Reis e Rainha”
Titulo Inglês : “Kings And Queen”
Ano : 2004
Duração : 150 minutos
Género : Drama/Romance
Realização : Arnaud Desplechin
Elenco : Emmanuelle Devos (Nora Cotterelle), Mathieu Amalric (Ismael Vuillard), Olivier Rabourdin (Jean Jacques), Catherine Deneuve (Vasset), Miglen Mirtchev (Caliban), Jean Paul Roussillon (Abel Vuillard), Catherine Rouvel (Monique Vuillard), Noemie Lvovsky (Elizabeth), Jan Hammenecker (Nicolas), Joachim Salinger (Pierre Cotterelle), Hippolyte Girardot (Marc Mamanne), Gaelle Dill (Victorine), Magali Woch (Arielle), Gilles Cohen (Simon), Marion Touitou (Delphine), Yann Coridian (Fidele), Maurice Garrel (Louis Jenssens), Valentin Lelong (Elias Cotterelle).

História : Uma mulher testemunha as mortes do marido e do pai, tendo que criar o pequeno filho sozinha. Um homem é internado num manicómio e tudo fará para recuperar a liberdade. Apesar de no passado terem tido uma relação de amizade e de terem sido amantes, ambos apenas querem ser felizes.

Comentário : Ontem vi este magnífico filme dramático e romântico. Não me lembro de alguma vez ter visto um filme realizado por Arnaud Desplechin, mas fiquei cativo do seu tipo de cinema com este “Rois Et Reine”. O filme está dividido em partes e no final podemos contar com um epílogo, pessoalmente, foi esta a parte que mais gostei. Na minha opinião, os reis do titulo são os quatro homens que marcaram a vida da protagonista Nora, que acaba por ser igualmente a raínha do titulo. O elenco é de luxo, pelo menos por terras francesas. A nível de interpretações, estamos perante um elenco de grande qualidade que obteve prestações notáveis. Nesse campo, os destaques vão para a bonita e profissional Emmanuelle Devos e para o brutal Mathieu Amalric, que acabam por ser as verdadeiras estrelas do filme. Destaque também para a relação entre Ismael e o pequeno Elias, que tem o seu pico mais alto no epílogo da fita. Gostei também de quase todas as cenas com Maurice Garrel, o seu Louis é um personagem genial. O filme é muito longo, mas confesso que nem dei pelas duas horas e meia passarem, de tão entranhado que estava na fita. Um último reparo, penso que este filme mostra quase na perfeição como são as relações humanas, mas o cinema europeu pauta-se quase sempre por esta característica.

Classificação do filme : 4.

Nenhum comentário:

Postar um comentário